Vende tudo o que tens e segue-me

Correio do Pantanal

6 out 2021 às 21:12 hs
Vende tudo o que tens e segue-me

Vende tudo o que tens e segue-me! – Saber Escolher

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 10,17-30 – Naquele tempo: 17Quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele, e perguntou: ‘Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?’ 18Jesus disse: ‘Por que me chamas de bom?’ Só Deus é bom, e mais ninguém. 19Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe!’ 20Ele respondeu: ‘Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude’. 21Jesus olhou para ele com amor, e disse: ‘Só uma coisa te falta: vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me!’ 22Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico. 23Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos: ‘Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!’ 24Os discípulos se admiravam com estas palavras, mas ele disse de novo: ‘Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! 25É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!’ 26Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso, e perguntavam uns aos outros: ‘Então, quem pode ser salvo?’ 27Jesus olhou para eles e disse: ‘Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível’. 28Pedro então começou a dizer-lhe: ‘Eis que nós deixamos tudo e te seguimos’. 29Respondeu Jesus: ‘Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, 30receberá cem vezes mais agora, durante esta vida – casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições – e, no mundo futuro, a vida eterna. Palavra da Salvação. Glória a Vós Senhor!

MENSAGEM – Saber Escolher – Durante a nossa vida, temos que fazer escolhas. Há muitas coisas que nos atraem, mas não conseguimos conquistar todas. Escolher uma significa renunciar às outras. As leituras desde dia tratam fundamentalmente deste tema sobre a ESCOLHA. A 1a Leitura fala da escolha feita por SALOMÃO: Ele preferiu a Sabedoria de Deus a qualquer outro bem. (Sb 7,7-11) Recém coroado, o jovem Rei vai ao templo oferecer um sacrifício a Deus. Deus, satisfeito, lhe diz: “Pede-me o que queres… e eu te darei…” Salomão: “Sou um adolescente… dai-me um coração sábio, capaz de julgar o vosso povo e discernir entre o Bem e o Mal…” O pedido agradou a Deus: “Já que não pediste nem vida longa, nem riquezas, nem a morte de teus inimigos, mas sim inteligência para governar meu povo…, vou te dar o que pedes… e também o que não pediste…” Salomão escolheu a SABEDORIA como Bem maior, preferível ao poder e às riquezas… A 2ª Leitura convida-nos a acolher a PALAVRA DE DEUS. (Hb 4,12-13) “Ela é viva, eficaz e mais penetrante de qualquer espada de dois gumes”. Ela ajuda a discernir o bem e o mal e a fazer a ESCOLHA certa. No Evangelho, Jesus propõe uma escolha do JOVEM RICO: (Mc 10,17-30) Jesus está a caminho, ensinando aos discípulos as exigências do Reino e as condições para integrar a comunidade messiânica. Um jovem ajoelha-se diante de Jesus e pergunta: “Que devo fazer para conseguir a vida eterna?” Inicialmente, Jesus lhe propõe os Mandamentos. O Jovem responde que já observa tudo isso… Ele quer algo mais… Então Jesus o olha com amor, porque de fato praticava… e “queria mais”… “Convida-o” a integrar a comunidade do Reino, apontando o caminho: Desfazer-se dos bens terrenos. Partilhar com os irmãos mais pobres. Seguir Jesus no seu caminho de amor e entrega. A escolha era muito comprometedora: ou segui-lo, “renunciando” a todos os bens, ou ficar com tudo, mas deixando-o. Era o “algo mais” que lhe faltava para passar da vivência tradicional da religião, para uma vivência mais generosa. Mas o Jovem prefere a segurança da riqueza e recusa o “convite” de Jesus. Não tem coragem de dar um passo a mais… e RETIRA-SE TRISTE… Jesus comenta: “Como é difícil a um rico entrar no Reino de Deus!” A reação do Jovem rico evidencia um fato: Quanto mais riquezas alguém possui, mais forte se faz sentir a tentação de amarrar o próprio coração aos próprios tesouros, a ponto de se tornarem um obstáculo no caminho do Reino. O “caminho do Reino” deve ser um caminho a ser percorrido no amor, na solidariedade, no serviço, na partilha, na verdade, no dom da vida aos irmãos… E os apóstolos não perderam a oportunidade: “E nós que deixamos tudo?”

– Jesus garante: “Vocês terão recompensa em bens e…  perseguições… e a vida eterna…” Quem é esse Jovem do Evangelho? Posso ser eu. Pode ser você… São muitas pessoas que observam os Mandamentos e até “desejariam fazer mais”… Mas quando Deus pede algo mais… elas se retiram tristes,

porque estão apegadas a muitas coisas, que amarram o seu coração e impedem de dar esse passo a mais. Estão satisfeitas apenas com o “mínimo” necessário… E nós nos satisfazemos como o mínimo… ou procuramos oferecer “algo mais”? Cristo nos dirige ainda hoje o mesmo convite: “Vai e vende TUDO… dá aos pobres… e depois me segue”. Todos nós temos alguma coisa para vender… Quais são as “riquezas”, de que devemos nos desfazer para esse algo mais e que tornam o nosso coração materializado e insensível às coisas de Deus. Será que Cristo nos olha “com amor” porque vê a nossa generosidade? Ou nós “nos afastamos tristes” por que não damos esse algo mais? Quantos pobres estão à espera de nossa oferta!… Pobres da palavra de Deus, de conforto, de entusiasmo, de orientação, educação… instrução religiosa… E nesse mês de outubro, dedicado às missões, a Igreja nos lembra

que todos devemos nos sentir responsáveis pelas missões. Devemos distribuir as riquezas espirituais e materiais que possuímos, também aos que ainda vivem na miséria religiosa e social. Cristo ainda HOJE continua a convidar: “Vai e vende tudo o que tens… e dá aos pobres… e depois vem e segue-me…” Ele continua nos “olhando com amor”… Ele conta com cada um de nós!… Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 10/10/2021

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.