Trump ilibado pelo Senado pode voltar a concorrer à Casa Branca

Correio do Pantanal

13 fev 2021 às 19:54 hs
Trump ilibado pelo Senado pode voltar a concorrer à Casa Branca
Trump ilibado pelo Senado pode voltar a concorrer à Casa Branca
Foto: AFP

Rita Neves CostaHoje às 20:50

O Senado norte-americano votou este sábado e Donald Trump não foi considerado culpado no julgamento de destituição.

Donald Trump escapou pela segunda vez à destituição, agora pelo papel que teve no incitamento à violência, ao contestar os resultados das eleições presidenciais, que culminou no ataque ao Capitólio a 6 de janeiro deste ano. Os democratas no Senado não conseguiram impedir a absolvição do ex-presidente norte-americano, mais uma vez: 57 votaram a favor e 43 contra a destituição. No entanto, era necessário uma maioria de dois terços para condenar Trump e bastariam mais dez votos para que tal acontecesse.

Um facto indicativo da divisão do Partido Republicano: sete senadores deste partido votaram a favor da destituição de Trump. Entre eles estão Mitt RomneyBill Cassidy e Susan Collins. A absolvição de Donald Trump deixa em aberto a sua recandidatura à presidência em 2024.

O ex-presidente dos EUA já reagiu ao resultado e foi igual a si mesmo. Donald Trump caracterizou o segundo julgamento por destituição como “mais uma fase da maior caça às bruxas” na História dos EUA. “Quero primeiro agradecer à minha equipa de advogados dedicados e outras pessoas pelo trabalho incansável na defesa da justiça e na defesa da verdade”, revelou numa declaração escrita.

O republicano, como já tinha adiantado, revelou a intenção de permanecer ativo na política. “O nosso movimento histórico, patriótico e belo (…) está apenas a começar. Nos próximos meses tenho muito a partilhar e estou ansioso para continuar a nossa jornada para alcançar a grandeza americana para todo o nosso povo”, escreveu.

Durante os dias do julgamento, vários democratas responsáveis pelo processo de destituição alertaram para o perigo que a democracia correria se Trump pudesse voltar a ser candidato.

Nas reações à absolvição, Chuck Schumer, líder da maioria democrata no Senado, disse que o tribunal da opinião pública será responsável por condenar Trump. “Ele merece estar permanentemente desacreditado, e acredito que foi desacreditado aos olhos do povo americano e no julgamento da história”, afirmou. Já Mitch McConnell, líder republicano no Senado, que votou contra a destituição do ex-presidente, responsabilizou-o “moralmente” por provocar o ataque ao Capitólio.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.