Sudão corta a Net móvel para alunos não copiarem nos exames

Correio do Pantanal

30 jun 2021 às 10:27 hs
Sudão corta a Net móvel para alunos não copiarem nos exames
Medida prevê corte da internet móvel durante três horas diárias
Medida prevê corte da internet móvel durante três horas diáriasFoto: FELIPE TRUEBA/EPA

JN/Agências18 Junho 2021 às 12:40

As autoridades sudanesas decidiram cortar a internet móvel durante três horas em todo o país, a partir de sábado, para evitar que os estudantes do ensino secundário, em exames de admissão à universidade, a utilizem nos exames.

“Comprometemo-nos a cortar a internet durante três horas diárias a partir de sábado, das 8 horas às 11 horas, até ao final dos exames em junho”, disse aos jornalistas o chefe da Autoridade Sudanesa de Comunicações, Sadeq Yamal al Din.

O responsável acrescentou que a decisão foi tomada a pedido da Procuradoria-Geral da República, medida que já foi implementada em setembro do ano passado pelas mesmas razões.

De acordo com Al Din, os serviços de internet por cabo não serão afetados, pelo que o trabalho nos bancos, empresas e instituições governamentais em todo o país não será interrompido.

Perante as queixas relativas à medida, que representa uma “grande perda” para as empresas de telecomunicações e para diferentes setores económicos, a autoridade anunciou que irá “implementar um plano para compensar as empresas”, sem especificar, no entanto, em que consistirá.

Tanto o Ministério Público sudanês como os ministérios da Educação e do Interior insistem em cortar a internet durante os 12 dias de exames do ensino secundário, que começam este sábado, e que serão realizados por cerca de 500 mil estudantes.

“O objetivo de cortar o serviço de internet dos ‘smartphones’ durante três horas é assegurar a confidencialidade dos testes”, disse também o supervisor de exames do Ministério da Educação, Mahmud Ser al Jatm, em declarações aos jornalistas.

O Governo sudanês implementou esta medida pela primeira vez no ano passado, depois de receber queixas de que muitos estudantes usaram os seus ‘smartphones’ nos exames de bacharelato e trocaram perguntas e respostas através de redes sociais.

O corte da internet móvel afetará um total de 20 milhões de cidadãos que contrataram este serviço.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.