Rio Verde tem 285 trabalhadores a menos do que o cadastrado no Ministério da Saúde

Correio do Pantanal

25 jan 2021 às 22:41 hs
Rio Verde tem 285 trabalhadores a menos do que o cadastrado no Ministério da Saúde

Sheila ForatoImprimirFoto: Divulgação

Apesar de ter 712 profissionais cadastrados junto ao Ministério da Saúde e, inclusive estar recebendo vacinas de Coronavírus (Covid-19) proporcionalmente a este número, o município de Rio Verde tem 285 funcionários a menos na saúde.

Segundo o secretário de Saúde de Rio Verde, Roberto Martins, o município possui 427 profissionais atuando na área. Ele informou ainda que após matéria do Edição MS pediu atualização dos dados junto a secretaria de Estado de Saúde.

Nesta segunda-feira (25), nossa reportagem denunciou que Rio Verde estava recebendo mais vacinas do que Coxim e São Gabriel do Oeste, cujas redes de saúde são maiores e, consequentemente, tem mais trabalhadores na área.

Leia mais: Rio Verde está recebendo mais vacinas do que duas cidades da região norte com redes maiores

Roberto assumiu a secretaria há menos de um mês e ainda não tinha notado essa incoerência nos dados. Ele acredita que esse número (712 trabalhadores) seja referente a gestão passada, que findou em 31 de dezembro de 2020.

Apesar de Rio Verde estar recebendo vacinas a mais por conta dessa quantidade de profissionais da saúde cadastrados, essa incoerência pode render outros problemas ao município.

É que se tratando de saúde, o governo Federal destina recursos conforme a quantidade de profissionais cadastrados, que formam as equipes para atender diversos programas de atenção à saúde.

Caso fique comprovado que o município não tinha essa quantidade de trabalhadores cadastrados, Rio Verde pode ter problemas junto ao Ministério da Saúde, levando a devolução de dinheiro público.

Entretanto, para burlar o sistema a Prefeitura teria de ter a conivência do Estado, uma vez que todo o trabalho desenvolvido nos municípios é auditado pela esfera estadual.COMENTÁRIO(S)

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.