Riedel nomeia 2º escalão do Governo e acomoda nomes ligados a Tereza Cristina e Azambuja

Correio do Pantanal

2 jan 2023 às 19:49 hs
Riedel nomeia 2º escalão do Governo e acomoda nomes ligados a Tereza Cristina e Azambuja

Entre os nomeados estão Marcos Santullo na Funtrab e Ademar Silva Júnior como secretário-adjunto da SEMADESC, enquanto Rudel Trindade continua no Detran; salários se aproximam dos R$ 30 mil

02/01/2023 18h14 – CORREIO DO ESTADO

DANIEL PEDRA

Compartilhar

Rudel Trindade e aliados de Tereza Cristina que ocupavam cargos federais foram acomodados por Riedel – Fotomontagem

O governador Eduardo Riedel (PSDB) nomeou, na tarde desta segunda-feira (02/01), parte dos integrantes do seu segundo escalão, acomodando nomes ligados à senadora eleita Tereza Cristina (PP-MS) e ao ex-governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

No caso dos apadrinhados pela ex-ministra, estão Marco Aurélio Santullo, que vai exercer a função de diretor-presidente da Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), com salário de R$ 28.401,90, e Ademar Silva Júnior, que assume a função de secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (SEMADESC), com salário de R$ 33.089,16.

Já os nomes ligados ao ex-governador incluem Rudel Espíndola Trindade Junior para continuar na função de diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran/MS), com salário de R$ 28.401,90, e Maria do Carmo Avesani Lopez para continuar exercendo o cargo de diretora-presidente da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab), com salário de R$ 28.401,90.

Além disso, também foram nomeados Bruno Wendling, que continua como diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur), com salário de R$ 20.160,00, e Daniel de Barbosa Ingold, que também continua como diretor-presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal (Iagro), com salário de R$ 20.160,00.

Outro nomeado é André Borges Barros de Araújo, que vai continuar exercendo o cargo de diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), com salário de R$ 13.600,00. Para a cargo de diretor-presidente da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), foi nomeado Mauro Azambuja Rondon, com salário de R$ 28.401,90, e, para a secretário-adjunto da Secretaria de Estado da Casa Civil, nomeou Flávio da Costa Britto Neto, com salário de R$ 33.089,16.

Já para ser o secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) foi nomeado Lauri Luiz Kener, com salário de R$ 33.089,16, e, para secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Educação (SED) continua Édio Antonio Resende de Castro, com salário de R$ 33.089,16.

Também foram nomeados Crhistinne Cavalheiro Maymone Gonçalves para continuar como secretária-adjunta da Secretaria de Estado de Saúde (SES), com salário de R$ 33.089,16, Ary Carlos Barbosa para continuar como secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), com salário de R$ 33.089,16, e Viviane Luiza da Silva para exercer o cargo secretária-adjunta da Secretaria de Estado de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania (SETESCC), com salário de R$ 33.089,16.

Ainda forma nomeados Mirna Estela Arce Torres para o cargo de secretária-adjunta da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (SEILOG), com salário de R$ 33.089,16, Ivanildo Silva da Costa para desempenhar a função de procurador-geral-adjunto do Estado, Márcio André Batista de Arruda para procurador-geral-adjunto do Estado, e Doriane Gomes Chamorro para o cargo de procuradora-chefe da Coordenadoria Jurídica da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), cujo salários são similares ao teto do serviço público, ou seja, acima de R$ 30 mil.

Assine o Correio do Estado

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.