Por que a África é vista como o futuro da Igreja Católica
  • Projetando

Correio do Pantanal

10 set 2019 às 09:48 hs
Por que a África é vista como o futuro da Igreja Católica

Lebo DisekoDa BBC News

Freira durante missa do papa Francisco em 2015 em Uganda
Image captionÁfrica tem população católica que mais cresce no mundo; acima, freira durante missa do papa Francisco em 2015 em Uganda

O papa Francisco acaba de concluir um tour por três países africanos, passando por Moçambique, Madagascar e Ilhas Maurício, em sua quarta visita à África desde que se tornou o líder da Igreja Católica, em 2013. Em comparação, seu antecessor Bento 16 esteve duas vezes no continente durante seus oito anos de papado.

Moçambique e Madagascar estão entre os países mais pobres do mundo, e a visita de Francisco é vista por muitos como um ato de solidariedade de quem é conhecido como o “papa dos pobres”. Mas a África torna-se cada vez mais importante para a Igreja Católica, que vê ali espaço para seu crescimento.

É naquele continente que a população católica mais cresce no mundo, ao mesmo tempo em que a Europa Ocidental, que já foi vista como o coração do cristianismo, se tornou uma das regiões mais seculares do planeta, segundo pesquisa do centro americano Pew.

E mesmo entre os que se identificam como cristãos há muitos que não frequentam a igreja com regularidade.

Em contraste, o cristianismo, em suas diferentes denominações, avança na África. O instituto Pew prevê que, em 2060, mais de quatro em cada dez cristãos do mundo estarão na África Subsaariana.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: