Obrigado, Senhor”

Correio do Pantanal

11 out 2019 às 05:10 hs
Obrigado, Senhor”

PALAVRA – Evangelho Lucas 17:11-19

11A caminho de Jerusalém, Jesus passou pela divisa entre Samaria e Galiléia. 12Ao entrar num povoado, dez leprosos dirigiram-se a ele. Ficaram a certa distância 13e gritaram em alta voz: “Jesus, Mestre, tem piedade de nós! 14“Ao vê-los, ele disse: “Vão mostrar-se aos sacerdotes”. Enquanto eles iam, foram purificados. 15Um deles, quando viu que estava curado, voltou, louvando a Deus em alta voz. 16Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano. 17Jesus perguntou: “Não foram purificados todos os dez? Onde estão os outros nove? 18Não se achou nenhum que voltasse e desse louvor a Deus, a não ser este estrangeiro? ” 19Então ele lhe disse: “Levante-se e vá; a sua fé o salvou”.

MENSAGEM – Vivemos num mundo em que a vida humana ficou transformada num grande comércio,

onde tudo se compra e tudo se paga … Diante dessa realidade, muitos perderam o valor da GRATUIDADE e da GRATIDÃO. A Liturgia de hoje nos apresenta o pensamento de Deus: Na 1ª Leitura: O Profeta Eliseu cura o leproso Naaman. (2Rs 5,14-17) O general sírio apresenta-se ao Profeta para ser curado… Eliseu, sem acolhê-lo, manda lavar-se sete vezes no Rio Jordão. O General humilhado está decidido a desistir e voltar para a sua terra… Mas a comitiva insiste e ele obedece… e fica curado… Reconhecido, proclama sua fé no Deus de Israel e, como sinal de sua gratidão, leva consigo de Israel um pouco de terra, a fim de cultuar na própria terra o Deus verdadeiro. Na 2ª Leitura, Paulo, bem consciente de ter sido um “leproso”, em meio aos sofrimentos e privações da prisão, encontra motivos de alegria, de esperança e de gratidão a Deus, pelos favores recebidos, chegando a afirmar: “Estou algemado como um prisioneiro, mas a palavra de Deus não pode ser algemada”. (2Tm 2,8-13) No Evangelho, Jesus, a caminho de Jerusalém, cura dez leprosos. (Lc 17,11-19) Os leprosos deviam morar fora do povoado, longe do convívio humano para não contaminarem os outros com a sua impureza física e religiosa. Eles gritam de longe: “Jesus, mestre, tem compaixão de nós…” Jesus se “compadece” e os manda se apresentarem aos sacerdotes, que eram os responsáveis para comprovar a cura e liberar a reintegração na Comunidade. Os dez obedecem e “no caminho” se vêem curados. mas só um volta para agradecer…  e era um samaritano, considerado estrangeiro e desprezado pelos judeus… Cristo questiona: “Não foram 10 os curados? Onde estão os outros nove?” E acrescenta: “Levanta-te e vai. TUA FÉ te salvou”. O episódio ilustra o CAMINHO DA FÉ: A fé nasce da esperança em Jesus que cura, se concretiza “a caminho” na obediência à Palavra de Jesus e se manifesta plenamente na gratidão. Pormenores significativos da narrativa do milagre: “A Lepra” representa o mal que atinge toda a humanidade, gerando exclusão, opressão e injustiça (número 10 significa “totalidade”). A todos os que se sentem “leprosos”, Deus faz encontrar a vida plena, a reintegração total na família de Deus e na comunidade dos homens. Judeus e Samaritanos juntos e solidários: Dois povos adversários, unidos pela desgraça e pela dor. A luta pela vida supera as diferenças religiosas, políticas ou raciais. E em conjunto vão à procura de Jesus: “Tem compaixão de NÓS”. A Lepra desaparece “no caminho”: A Ação libertadora de Jesus é um processo progressivo, no qual o crente vai descobrindo e interiorizando os valores de Jesus, até à adesão plena às suas propostas e à efetiva transformação do coração. Só um volta para agradecer: O Leproso curado volta “glorificando a Deus em alta voz”. Reconhece Jesus como libertador e está disposto a segui-lo. Agradece e acredita, por isso recebe mais: “Vai a tua fé de salvou”. A fé dos demais chega até a cura; a sua fé chega até a Salvação. “E é um Samaritano” (estrangeiro) Os “de casa” não sentem necessidade de agradecer. O estrangeiro volta para agradecer. A graça de Deus é mais valorizada por quem não pertence à Comunidade… O que nos diz esse fato? Quem são os leprosos de hoje, que marginalizados e discriminados pela comunidade, continuam ainda hoje sofrendo na própria pele as conseqüências das feridas da lepra do pecado? A gratidão: é uma das virtudes que enobrecem a pessoa humana. Desde criança, fomos educados a agradecer os favores recebidos. A gratidão é a atitude que brota do coração

de quem se sente amado pelo amor de Deus… Nem todos sabem agradecer. (“Nem obrigado recebi!”)

Não basta na hora da necessidade gritar: “Senhor, tem piedade de mim!”. É preciso também manifestar a nossa gratidão pela libertação que faz acontecer em nós, comprometendo-nos com ele. Saber agradecer a tantas pessoas, que tornaram nossa vida mais feliz: nossos pais, nossos professores, o padre, o médico, o catequista, os colegas de estudo, de trabalho, de esporte e tantos outros. Não basta sentir… É importante também manifestar… “Obrigado” é uma palavra tão simples, mas tão esquecida por muitos. Ela valoriza o dom recebido e dispõe ainda mais o doador. EUCARISTIA quer dizer: “ação de graças”. Aproveitemos esse momento privilegiado para agradecer a Deus de todos os favores recebidos em nossa vida, e partamos daqui dispostos a reconhecer agradecidos também os inúmeros favores recebidos de nossos irmãos… Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 13.10.2019 

NOTÍCIAS DIOCESANAS

12 de outubro – Festa de Nossa Senhora Aparecida.

Dom Antonino celebra: no dia 11, em Rio Verde.

No dia 12, de manhã em são Gabriel e, de noite, em Sonora.

  • Visitas de Dom Antonino na Semana Missionária:

13 e 14 em Pedro Gomes.

15 em Rio Verde.

16 em Rio Negro

17 no Paraíso das Águas

18 em Figueirão

19 em Alcinópolis.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: