Jovem mórmon caminhou 23 km para pedir ajuda após ataque armado no México
  • No Banner to display

  • celular

Correio do Pantanal

7 nov 2019 às 00:21 hs
Jovem mórmon caminhou 23 km para pedir ajuda após ataque armado no México

Jovem mórmon caminhou 23 km para pedir ajuda após ataque armado no México

Um adolescente caminhou vários quilómetros após sobreviver ao ataque armado em que morreram seis crianças e três mulheres da igreja mórmon.

Uma caravana de três automóveis viajava na segunda-feira entre Galeana e Sonora, no norte do México. Os veículos pertenciam a membros da igreja mórmon: três mulheres adultas e 14 crianças circulavam juntos por “razões de segurança”, de acordo com um membro da família, citado pela BBC. Foram atacados a tiro numa emboscada esta segunda-feira: morreram seis crianças e as três mulheres. Oito crianças sobreviveram ao tiroteio.

Um dos menores da família, Devin de 13 anos, conseguiu escapar aos tiros, escondeu os seis irmãos em arbustos e foi pedir ajuda. O adolescente terá caminhado cerca de 23 km até encontrar alguém da comunidade: foi aí que alertou o que tinha acontecido. Algumas pessoas terão ido buscar armas para se defender dos suspeitos do homicídio mas perceberam imediatamente que o mais prudente seria avisar as autoridades.

Como Devin demorou tanto tempo, uma das irmãs, McKenzie de 9 anos, terá ido à sua procura. A menina caminhou durante quatro horas durante a noite. Foi depois encontrada pelos serviços de emergência. As sete crianças desta família que sobreviveram, cinco delas têm ferimentos de bala. A mãe Dawna Langford e mais dois irmãos de Devin morreram no ataque.

A oitava criança que sobreviveu é uma bebé de sete meses, Faith Langford, que foi encontrada no “babycoque” (cadeira de bebé) fora do veículo. A progenitora Christina Langford Johnson foi morta a tiro, mas segundo algumas testemunhas, citadas pela BBC, terá saído do carro com as mãos no ar e implorando para que o grupo parasse com o tiroteio.

As autoridades suspeitam que o grupo armado que atacou estas famílias pertença a um cartel de droga. Existem, neste momento, várias teorias em cima da mesa: os membros da igreja mórmon podem ter sido mortos por engano, foram apanhados entre um tiroteio de dois cartéis de droga rivais ou poderá ter sido uma vingança.

Nas imediações do local onde ocorreu o ataque, o estado de Sonora está a ser disputado por dois grupos: a La Línea, com ligações ao cartel de Juárez, e Los Chapos, relacionados com o cartel de Sinaloa.

A família LeBaron à qual pertenciam as vítimas seriam muito críticas da violência perpetrada pelos cartéis de droga no México e receberam ameaças no passado, de acordo com outros membros da família.

As autoridades mexicanas confirmaram esta terça-feira que uma pessoa foi detida por suspeita de estar envolvida no ataque armado. O suspeito foi encontrado com um carregamento avultado de armas e dois reféns dentro de um veículo.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: