Presidente do Senado pede ‘socorro’ aos EUA para que vendam vacinas ao Brasil

Correio do Pantanal

19 mar 2021 às 21:24 hs
Presidente do Senado pede ‘socorro’ aos EUA para que vendam vacinas ao Brasil
  • Mariana Schreiber – @marischreiber
  • Da BBC News Brasil em Brasília

Há 1 hora

Rodrigo Pacheco de máscara, em cadeira na câmara
Legenda da foto,O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, enviou carta ao governo americano com um ‘pedido de socorro ao Brasil’ para enfrentamento à pandemia de coronavírus

Diante do crescente número de mortes pela covid-19 e do colapso no sistema de saúde do país, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, enviou nesta sexta-feira (19/03) uma carta ao governo americano com um “pedido de socorro ao Brasil” para enfrentamento à pandemia de coronavírus.

O foco principal da correspondência foi um pedido de “autorização especial” para a aquisição de vacinas excedentes nos EUA pelo Brasil. A carta foi endereçada à vice-presidente Kamala Harris, que é também presidente do Senado americano.

“Solicitei, nesta sexta-feira, aos Estados Unidos, por meio de ofício enviado à vice-presidente Kamala Harris, pedido de socorro ao Brasil nas ações de combate à pandemia da covid-19“, disse Pacheco em sua conta no Twitter.

“No ofício, pedi que fosse considerada, pelas autoridades norte-americanas, a eventual concessão de autorização especial que permita a aquisição, pelo governo brasileiro, de doses de vacina estocadas nos Estados Unidos e ainda sem a previsão de serem utilizadas localmente”, acrescentou.PUBLICIDADEhttps://6592b01cdd157b286cbf9608dddf3c3a.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html?v=1-0-38

Na carta, Pacheco enfatiza a gravidade da pandemia no Brasil e argumenta que é importante deter a doença “em seu atual epicentro”.Pule Talvez também te interesse e continue lendoTalvez também te interesse

Fim do Talvez também te interesse

“Nossas melhores defesas contra a propagação da doença e o surgimento de novas variantes são a cooperação internacional e a vacinação em massa de nossas populações”, afirma o documento.

“Permita-me agregar à solicitação acima, senhora Presidente, minha firme convicção de que semelhante gesto humanitário contribuiria não apenas para o aprofundamento dos laços de amizade e cooperação que nossos países, mas seria também a forma mais eficaz de conter a propagação da epidemia no seu atual epicentro. Toda a comunidade internacional ganharia, em segurança sanitária e estima moral, com iniciativa de tamanha relevância e grandeza”, diz outro trecho da carta.

México e Canadá, vizinhos dos EUA, tendem a receber ajuda primeiro

Pessoa não identificada segura vidro com dose de vacina
Legenda da foto,Reportagem nos EUA revelou que governo Biden está finalizando um plano para fornecer milhões de doses de vacinas para seus dois vizinhos, México e Canadá

A Casa Branca anunciou na semana passada que os EUA receberam pedidos de diversos países para doação de vacinas, mas que a prioridade é concluir a imunização dos americanos.

Já reportagem desta sexta-feira (19/03) da NPR, agência pública de notícias americana, diz que o governo Biden está finalizando um plano para fornecer milhões de doses de vacinas para seus dois vizinhos, México e Canadá.

O pedido de Pacheco veio dois dias depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter feito, em entrevista transmitida pela rede americana CNN, um apelo ao presidente Joe Biden para que doasse vacinas ao Brasil ou países mais pobres. O petista pediu também que o democrata convoque o G20 para trabalhar nessa questão.

“Uma sugestão que eu gostaria de fazer ao presidente Biden por meio do seu programa é que é muito importante chamar uma reunião do G20 urgentemente. É importante convocar os principais líderes do mundo e colocar na mesa uma questão: vacina, vacina e vacina”, sugeriu.

Um dia depois da entrevista, o Palácio do Planalto divulgou que Biden enviou uma carta em 26 de fevereiro a Bolsonaro propondo união de esforços contra a pandemia. A carta foi resposta a uma correspondência enviada pelo presidente brasileiro após a posse do democrata.

“O presidente Biden saudou a oportunidade para que ambos os países unam esforços, tanto em nível bilateral quanto em fóruns multilaterais, no enfrentamento aos desafios da pandemia e do meio ambiente, em alusão ao caminho para a COP26 e para a Cúpula sobre o Clima, esta última a ser sediada pelos EUA em 22 de abril próximo”, diz a nota do Planalto.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: