Bolsonaro diz que permanece no PSL e compara crise no partido a ‘briga de marido e mulher’

Correio do Pantanal

9 out 2019 às 22:20 hs
Bolsonaro diz que permanece no PSL e compara crise no partido a ‘briga de marido e mulher’

Nesta terça (8), Bolsonaro disse a apoiador para ‘esquecer’ partido, afirmando que presidente da legenda está ‘queimado’. PSL é alvo de investigações por supostas candidaturas-laranja.

Por G1 e TV Globo — Brasília

Bolsonaro afirma que "não tem crise" após declaração polêmica

Bolsonaro afirma que “não tem crise” após declaração polêmica

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (9) que “por enquanto” permanecerá no PSL e comparou a crise no partido a uma “briga de marido e mulher”.

Bolsonaro deu a declaração ao conceder uma entrevista coletiva na qual foi questionado sobre a crise envolvendo o partido ao qual é filiado desde o ano passado.

Nesta terça (8), o presidente disse a um apoiador para “esquecer” o PSL, o que provocou a reação de integrantes da legenda no Congresso Nacional.

“Por enquanto, eu continuo [no PSL]. Não tem crise. Briga de marido e mulher, de vez em quando acontece. O problema não é meu. O pessoal quer um partido diferente, atuante. O partido está estagnado. Não tem confusão nenhuma”, afirmou o presidente.

“Falei para o garoto: ‘Esquece o PSL’. Por quê? Ele é pré-candidato a vereador e, se começar a falar em partido, é campanha antecipada. Isso que eu falei para ele”, acrescentou.

Bolsonaro concedeu uma rápida entrevista coletiva ao deixar o Palácio do Planalto em uma saída lateral, geralmente não utilizada pelo presidente da República, somente por convidados e funcionários.

Antes de conceder essa entrevista, Bolsonaro se reuniu no Planalto com deputados do PSL.

Cerca de uma hora depois da entrevista do presidente, o porta-voz de Bolsonaro, Otávio Rêgo Barros, afirmou que ele “não pretende deixar o PSL de livre e espontânea vontade”.

PSL

O Ministério Público e a Polícia Federal apuram suspeitas de candidaturas-laranja, de fachada, do PSL em estados como Minas Gerais e Pernambuco.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, por exemplo, presidente licenciado do PSL-MG, já foi denunciado pelo Ministério Público por suposto envolvimento em candidaturas de fachada no estado. Ele nega as acusações.

Nesta terça (8), Bolsonaro disse que o presidente nacional da legenda, Luciano Bivar, está “queimado para caramba“.

Mais cedo, nesta quarta, Bivar afirmou à colunista do G1 e da GloboNews Andréia Sadi que Bolsonaro “já está afastado” do PSL.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: