Paquistão e talibãs reabrem fronteira vital para o comércio afegão

Correio do Pantanal

14 ago 2021 às 03:14 hs
Paquistão e talibãs reabrem fronteira vital para o comércio afegão
Paquistão e talibãs reabrem fronteira vital para o comércio afegão
Foto: EPA/AKHTER GULFAM

JN/AgênciasOntem às 16:11

O governo paquistanês e os talibãs reabriram, esta sexta-feira, o posto fronteiriço de Chaman-Wesh, considerado um ponto de passagem estratégico entre os dois países, que está sob controlo dos rebeldes no lado afegão desde há um mês.

“O Paquistão e os talibãs concordaram ontem [quinta-feira], numa reunião, em abrir a fronteira, pelo que esta foi reaberta hoje”, disse Fazal Khan, um oficial de segurança no posto de Chaman, à agência EFE.

A fonte não elaborou os termos acordados pelas partes para a reabertura do posto fronteiriço.

A reunião ocorreu depois de um “cidadão afegão de 56 anos ter morrido de ataque cardíaco enquanto esperava no portão para entrar no Afeganistão”, disse Khan.

A morte do afegão originou uma manifestação de cerca de 10 mil pessoas na quinta-feira, e de 30.000 hoje, disse a mesma fonte contactada pela EFE.

Os protestos resultaram em confrontos entre as forças de segurança paquistanesas e milhares de pessoas à espera de atravessar a fronteira, acrescentou.

O posto denomina-se Chaman do lado paquistanês e Wesh do lado afegão.

Wesh faz parte da província afegã de Kandahar e a reabertura da fronteira ocorre no dia em que os talibãs assumiram o controlo da capital com o mesmo nome e de todas as instituições do governo regional.

Kandahar é uma província estratégica, e uma das cidades mais importantes do Afeganistão, por ser o principal centro comercial com o Paquistão, através do qual os comerciantes abastecem a maior parte das províncias afegãs.

O posto fronteiriço de Chaman-Wesh permite o acesso rodoviário ao porto marítimo de Carachi, o maior centro financeiro e comercial do Paquistão.

Cerca de 1.000 camiões comerciais afegãos atravessam a fronteira de Chaman-Wesh para o Paquistão em dias normais, mas esse número foi reduzido para cerca de 100 por razões de segurança desde a captura do posto pelos rebeldes, de acordo com dados oficiais.

Os talibãs lançaram uma grande ofensiva contra as forças do governo de Cabul no início de maio, após o anúncio da retirada final das forças internacionais do Afeganistão, que deve estar concluída no dia 31 de agosto.

Os rebeldes controlam já cerca de metade das capitais das 34 províncias afegãs, todas conquistadas em apenas oito dias.

Localizado no sul da Ásia, o Afeganistão faz fronteira com seis países (Paquistão, Tajiquistão, Irão, Turquemenistão, Uzbequistão e China), sendo a paquistanesa a mais extensa, com 2.670 quilómetros.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.