Preocupação com desaceleração global derruba bolsas de valores pelo mundo

Correio do Pantanal

15 ago 2019 às 07:10 hs
Preocupação com desaceleração global derruba bolsas de valores pelo mundo

Dados ruins da economia da Alemanha e da China, além da guerra comercial entre EUA e China, preocuparam investidores nesta quarta-feira. No Brasil, bolsa caiu 2,94% e dólar subiu a R$ 4,0386.

Por G1

Temor de recessão nos EUA derruba Bolsas de ValoresJornal Nacional–:–/–:–

Temor de recessão nos EUA derruba Bolsas de Valores

Temor de recessão nos EUA derruba Bolsas de Valores

A preocupação com uma desaceleração da economia global derrubou as principais bolsas do mundo nesta quarta-feira (14). A tensão no mercado teve como pano de fundo fracos indicadores de atividade da Alemanha e da China.

Os investidores também mantiveram no radar a guerra comercial entre os governos chinês e norte-americano. A disputa entre os dois países também tem potencial para prejudicar o crescimento da economia global.

No Brasil, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, recuou 2,94%, a 100.258 pontos, e a moeda norte-americana subiu 1,76%, a R$ 4,0386, no maior valor desde o final de maio.

Mercados tiveram queda com temor de guerra comercial — Foto: Reuters

Mercados tiveram queda com temor de guerra comercial — Foto: Reuters

Na Alemanha, a agência federal de estatísticas Destatis divulgou que o economia do país registrou contração no segundo trimestre, com uma queda de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB). Na China, a produção industrial desacelerou para uma mínima de mais de 17 anos.

A preocupação com uma piora da economia também ficou evidente no mercado de títulos norte-americano. Os rendimentos do Tesouro de dois anos subiram acima dos referentes aos títulos de 10 anos pela primeira vez desde 2007, apontando para o risco de recessão.

A curva de rendimentos dos EUA se inverteu antes de cada recessão nos últimos 50 anos.

“O mercado já torceu o nariz de novo, acordando o fantasma da recessão começando nos EUA, China e se alastrando pelo mundo. E o mercado correu para a proteção novamente”, disse à Reuters o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva.

Nos Estados Unidos, o Dow Jones caiu 3,05%, o S&P 500 cedeu 2,93% e o Nasdaq Composto recuou 3,02%.

Na Europa, os índices recuaram para a mínima em seis meses. Em Londres, o índice Financial Times recuou 1,42%. Em Frankfurt, o Índice DAX caiu 2,19%.Bolsas em quedaFraqueza da economia mundial preocupou investidores nesta quarta; dados em %-2,94-2,94-3,05-3,05-2,93-2,93-3,02-3,02-1,42-1,42-2,19-2,19-2,08-2,08-2,53-2,53-1,98-1,98-1,55-1,55B3Dow Jones (EUA)S&P 500 (EUA)Nasdaq (EUA)LondresFrankfurtParisMilãoMadriLisboa-3-2-10-4Fonte: Reuters

Na terça-feira (13), os mercados financeiros tiveram algum alívio com a indicação dos Estados Unidos de alívio na guerra comercial com a China. O governo norte-americano decidiu retirar alguns itens da lista de produtos chineses sujeitos a tarifa adicional de importação de 10% a partir de 1º de setembro.

“É quase como se os investidores globais não acreditassem no atraso tarifário como um sinal de progresso real na guerra comercial entre os EUA e a China ou tivessem sido demasiado consumidos por evidências adicionais de fraqueza econômica global para se preocuparem”, disse à Reuters Stephen Gallo, estrategista da BMO Capital Markets.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: