As pessoas para quem não estamos em 2020
  • No Banner to display

  • celular

Correio do Pantanal

1 jan 2020 às 21:07 hs
As pessoas para quem não estamos em 2020
Queima de fogos

É ano novo para muitas pessoas… mas, para outras, não.

Enquanto muita gente comemora a chegada de 2020, há outros calendários em uso no mundo todo que indicam um ano completamente diferente.

O fato é que estamos no ano de 2020 de acordo com o calendário gregoriano, que é adotado na prática pela maior parte dos países.

Este calendário, baseado no ciclo solar, foi introduzido pelo papa Gregório 13 em 1582.

E surgiu como uma reformulação do calendário juliano, criado pelo líder romano Júlio César, que correspondia à rotação da Terra ao redor do Sol, mas não era tão preciso.nullTalvez também te interesse

Até então, muitos países cristãos celebravam o Ano Novo em 25 de março, data que marca a aparição do arcanjo Gabriel à Virgem Maria, mas o Papa Gregório restabeleceu o 1º de janeiro como início oficial do ano.

Calendário

Há, no entanto, outros calendários em uso ao redor do mundo. Entre eles, estão:

Judaico

Pelo calendário judaico, estamos no ano 5780.

E, de acordo com ele, o ano novo é celebrado no fim de setembro, durante o chamado mês de Tishrei.PROPAGANDA

Há, na verdade, quatro calendários diferentes no judaísmo, incluindo um dedicado às árvores.

O de Tishrei se refere ao aniversário da criação do universo.

Fruta adoçada com mel

Trata-se de um calendário lunissolar, ou seja, que leva em consideração os ciclos do Sol e da Lua.

É costume mergulhar um pedaço de fruta no mel para ter um ano novo doce.

Mas também é tempo de penitência e reflexão.

Um dos rituais, chamadoTashlich, consiste em jogar migalhas de pão na água corrente para simbolizar a purificação dos pecados.

Chinês

Assim como o calendário judaico, o tradicional calendário chinês também é lunissolar. E o ano novo chinês cai numa data diferente a cada ano.

Calendário chinês

Em 2020, por exemplo, vai ser celebrado no dia 25 de janeiro.

Cada ano recebe o nome de um dos 12 animais do horóscopo chinês, que têm um papel importante na cultura do país.

O próximo ano será o ano do rato.

O ano novo chinês também é conhecido como Festival da Primavera.

É um feriado de uma semana e remonta à antiguidade.

Coreia do Sul

O Ano Novo lunar é comemorado em muitos países asiáticos, como a Coreia do Sul.

Os sul-coreanos comemoram o ano novo duas vezes.

O primeiro dia do tradicional ou “antigo” calendário lunar coreano é chamado Seollal.

Assim como na China, é um dos maiores feriados do ano e é comemorado no dia 25 de janeiro.

Mas os sul-coreanos também celebram 1º de janeiro como o “novo” ano novo, de acordo com o calendário gregoriano, introduzido na Coreia no fim do século 19.

Mas sua instituição é mais uma questão simbólica e administrativa.

Coreia do Norte

Na Coreia do Norte, por outro lado, nenhum deles é considerado um feriado importante.

Eles colocam o ano novo em segundo plano em relação aos feriados socialistas.

Índia

Na Índia, por sua vez, há bem mais de duas datas.

Os hindus de diferentes partes do país celebram o ano novo com base em seus próprios calendários — que podem seguir os ciclos solar, lunar ou ambos.

O ano novo Tamil, que é comemorado principalmente no estado indiano de Tamil Nadu, no sul da Índia, geralmente cai no dia 14 de abril.

E geralmente é perto ou na mesma data do ano novo bengalês, birmanês e cingalês.

O calendário Tamil mais comum compreende ciclos de 60 anos.

Em vez de números como 2020 ou 2019, todos os anos recebem nomes, e o próximo se chamará Saavari.

Islâmico

De acordo com o calendário islâmico ou hegírico, estamos no ano 1441, que começou em agosto. O calendário islâmico data de quando o profeta Maomé fugiu da cidade de Meca para Medina.

É um calendário baseado nos ciclos da Lua.

É por isso que as datas de todos os rituais islâmicos variam.

O mês do Ramadã, por exemplo, foi em maio em 2019, mas em novembro em 2000.

Embora as pessoas celebrem o ano novo hegírico, o calendário gregoriano é o oficial na maioria dos países árabes.

Persa

Para os iranianos, estamos no ano 1398.

O ano novo persa é comemorado no equinócio da primavera, mais precisamente, no primeiro dia da estação, quando a luz solar incide da mesma forma sobre os dois hemisférios, fazendo com que os dias e as noites tenham a mesma duração (12 horas cada).

O calendário é baseado no movimento da Terra ao redor do Sol.

E o ano novo ou Noruz, que significa novo dia em persa, geralmente cai por volta de 20 de março.

O Noruz é comemorado há mais de 3 mil anos, não apenas pelos iranianos, por outras comunidades também.

Para celebrar, eles preparam uma mesa decorada com sete itens simbólicos, e os jovens visitam o membro mais velho da família por respeito.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: