Monte Everest: derretimento de geleiras expõe corpos congelados há anos
  • piramide

Correio do Pantanal

2 set 2019 às 07:00 hs
Monte Everest: derretimento de geleiras expõe corpos congelados há anos

Navin Singh KhadkaCorrespondente para Meio Ambiente do BBC World Sevice

O glaciar Khumbu
Image captionA maior parte dos corpos que apareceram está no glaciar de Khumbu

Operadores de expedições na montanha mais alta do mundo estão preocupados com o número de corpos de alpinistas mortos que estão aparecendo com o derretimento de geleiras no Everest.

Quase 300 aventureiros já morreram no local desde a primeira tentativa de subida, e dois terços dos corpos ainda estão sob neve e gelo. A maior parte dos óbitos acontece por avalanches, quedas, mas também problemas fisiológicos agudos, como tontura e dor de cabeça.

Corpos começam a ser removidos no lado chinês da montanha, conforme se aproxima a temporada de escalada da primavera.

Mais de 4,8 mil alpinistas já escalaram o pico mais alto da Terra.

“Por causa do aquecimento global, o manto de gelo e os glaciares estão derretendo rapidamente. Os cadáveres que permaneceram enterrados durante todos esses anos estão agora sendo expostos”, explica Ang Tshering Sherpa, ex-presidente da Associação de Montanhismo do Nepal.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.