Monges franceses tentam salvar 2,8 toneladas de queijo em venda relâmpago

Correio do Pantanal

26 mar 2021 às 15:45 hs
Monges franceses tentam salvar 2,8 toneladas de queijo em venda relâmpago
Mosteiro de Citeaux
Mosteiro de CiteauxFoto: AFP

JNHoje às 16:58

Um mosteiro situado no coração da região da Borgonha, em França, decidiu organizar uma “venda online de emergência” para despachar milhares de queijos artesanais acumulados nos seus armazéns devido à pandemia de covid-19.

A abadia de Citeaux, no sul de Dijon, onde nasceu a ordem religiosa de Cister, vende os seus conhecidos queijos semi-moles apenas a restaurantes ou visitantes que se deslocam à loja local. No entanto, a enorme queda na procura desde o início do ano passado deixou os 19 monges trapistas da abadia com um excedente de quatro mil queijos, o equivalente a 2,8 toneladas.

“Tentámos explicar às nossas 75 vacas que precisavam de produzir menos leite, mas elas não parecem ter entendido”, afirmou à AFP o monge Jean-Claude, responsável pelo marketing do mosteiro fundado em 1098.

Com os restaurantes franceses encerrados desde 30 de outubro – e as autoridades a tentar conter a terceira vaga de novos casos – as vendas da abadia caíram na ordem dos 50%. “Precisamos mesmo de despachar o nosso stock”, sublinhou.

Uma oportunidade de ouro para os amantes do queijo feito por monges desde 1925 e que já venceu uma medalha de prata na última edição do concurso internacional de comida e bebida de Lyon.

Os monges uniram-se à startup online “Divine Box” – que comercializa produtos feitos por monges em França e noutros locais – com o objetivo de conseguirem vender pelo menos uma tonelada de queijo até à próxima terça-feira.

“Vamos conseguir”, garantiu Jean-Claude, anunciando que já há mais de 700 quilos encomendados.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.