Menina de 11 anos estuprada em Campo Grande está grávida de 3 meses e suspeito já foi intimado

Correio do Pantanal

11 jan 2023 às 14:30 hs
Menina de 11 anos estuprada em Campo Grande está grávida de 3 meses e suspeito já foi intimado

Avó da menina desconfiou das mudanças no corpo da criança

Thatiana Melo

| 11/01/2023

– 11:24

Copy LinkTwitterFacebookMessengerTelegramWhatsApp

Menina de 11 anos estuprada em Campo Grande está grávida de 3 meses e suspeito já foi intimado

(Foto: Nathalia Alcantara/Midiamax)

A menina de 11 anos que foi estuprada em Campo Grande, está grávida de 3 meses, segundo a delegada Anne Karine da Depca (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente). O suspeito de 20 anos já foi identificado e intimado a depor, na delegacia.

Segundo a delegada, apenas a avó e a menina foram ouvidas na delegacia. Ainda não se sabe quando o rapaz deve prestar depoimento na delegacia. O boletim de ocorrência por estupro de vulnerável foi registrado no fim  da tarde de segunda-feira (9).

Não se tem informações se a família da menina pediu ou irá pedir pela interrupção da gravidez. 

A avó desconfiou das mudanças no corpo da neta, além de a menina não pedir mais para comprar absorventes e a levou até uma unidade de saúde. Os médicos constataram que a criança estava grávida.

Depois da constatação do estupro, a avó procurou a delegacia e na especializada a menina contou que havia ido até uma festa onde conheceu o rapaz de 20 anos. Ela foi levada para a casa dele depois da festa, onde ocorreu o crime.

Interrupção de gravidez em casos de aborto

Segundo a Comissão Nacional Especializada em Ginecologia Infanto Puberal da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), a interrupção de uma gestação, nos casos em que o aborto é permitido, deve ser feito o mais cedo possível. Algumas cartilhas públicas falam que a interrupção deve ocorrer até a 22º semana. A legislação, no entanto, não estabelece nenhum prazo nos casos em que a prática é permitida, quando “não há outro meio de salvar a vida da gestante” ou gravidez resultante de estupro – em 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) permitiu o aborto em casos de fetos anencéfalos. 

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.