Homens são flagrados pescando ilegalmente com touca ninja e petrechos proibidos em rio de São Gabriel do Oeste

Correio do Pantanal

19 jan 2019 às 15:10 hs
Homens são flagrados pescando ilegalmente com touca ninja e petrechos proibidos em rio de São Gabriel do Oeste

Por Graziela Rezende, G1 MS

Policiais apreenderam motor, celular e petrechos deixados por criminosos em MS — Foto: PMA/DivulgaçãoPoliciais apreenderam motor, celular e petrechos deixados por criminosos em MS — Foto: PMA/Divulgação

Policiais apreenderam motor, celular e petrechos deixados por criminosos em MS — Foto: PMA/Divulgação

Denúncias de pesca predatória em São Gabriel do Oeste, a 140 km de Campo Grande, levaram policiais a flagrar dois homens em uma embarcação, usando tocas ninjas para não serem identficados e petrecho proibido, durante a piracema. A fiscalizou ocorreu nessa sexta-feira (18).

De acordo com o registro policial, os homens estavam na região conhecida como Pesqueiro do Dedé. Mesmo a paisana, um deles teria reconhecido um dos militares e então fugiram, deixando a embarcação à margem, pulando no rio e fugindo pela mata, em seguida.

Ambos foram perseguidos e inclusive chegaram a lançar peixes no rio novamente. Antes, eles ainda tentaram afundar a embarcação, para não deixar vestígios que pudessem identificá-los, ainda conforme a polícia. Tudo foi apreendido, inclusive o motor e celular de um dos suspeitos. Já os criminosos não foram encontrados.

“O crime ocorreu no fim da tarde. Eles planejaram tudo e fugiram com a toca ninja exatamente para não serem identificados. A dupla também só largou o barco porque não deu tempo de afundar, coisa de bandido mesmo. Além disto, ainda tinha o motor potente e, não fosse o pessoal à paisana, seria ainda mais díficil encontrá-los”, afirmou ao G1 o tenente-coronel Edmilson Queiroz, da PMA.

Polícia investiga paradeiro de criminosos que estava em embarcação em rio de MS — Foto: PMA/DivulgaçãoPolícia investiga paradeiro de criminosos que estava em embarcação em rio de MS — Foto: PMA/Divulgação

Polícia investiga paradeiro de criminosos que estava em embarcação em rio de MS — Foto: PMA/Divulgação

Os envolvidos devem responder por crime ambiental de pesca predatória. A pena varia de um a três anos de detenção, além de multa administrativa de R$ 5 mil para cada.

A Polícia Militar Ambiental (PMA) ainda anuncia que continuará com as fiscalizações, fundamental para evitar a depredação dos cardumes, especialmente com uso desses tipos de petrechos ilegais que têm alto poder de captura.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: