Financiada pelo FCO, cooperativa amplia cadeia produtiva de suínos do Estado

Correio do Pantanal

5 abr 2018 às 12:09 hs
Financiada pelo FCO, cooperativa amplia cadeia produtiva de suínos do Estado

CORREIO DO ESTADO

Projeto vai elevar de 3,5 mil para 5 mil suínos entregues por dia para abate – Foto: Divulgação/Semagro

Para ampliar a granja multiplicadora de suínos no município de Rio Verde de Mato Grosso, a Cooperativa Agropecuária de São Gabriel do Oeste (Cooasgo) vai financiar R$ 44,9 milhões junto ao Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). O valor pleiteado corresponde a 90% dos R$ 49,9 milhões que serão investidos.

O financiamento foi aprovado ontem (4) pelo Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis do FCO e vai ajudar no projeto de elevar de 3,5 mil para 5 mil suínos entregues por dia para abate na unidade Aurora em São Gabriel do Oeste. O empreendimento ainda deve gerar 36 empregos diretos e aproximadamente 150 indiretos, além da movimentação financeira na região. Atualmente a Cooasgo conta com 436 cooperados, sendo 100 com suinocultura.

Com o recurso, a cooperativa vai adquirir cinco mil matrizes (avós e bisavós) e 35 machos para diagnóstico de cio, para produzir nos próximos anos 19.136 suínos terminados, 40.040 leitoas para reprodução e 80.808 leitões com 23 kg para terminação. A área em Rio Verde foi escolhida atendendo questões sanitárias.

O diretor-presidente da Cooasgo, Sergio Luiz Marcon, conta que o financiamento dá a possibilidade de produzir mais animais na região de São Gabriel do Oeste, o que contribui para o desenvolvimento do local. “É um ganho para todo o mercado, porque vamos ajudar na movimentação de vários setores como a ração feita de grãos produzidos por aqui e o aumento de alojamentos e integrados”.

Presidente do Conselho do FCO e titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, destaca que com esse investimento Mato Grosso do Sul chega ao topo da cadeia produtiva da suinocultura.

“Com esse projeto a Cooasgo mostra que está focada em genética e eleva o Estado a um novo patamar dentro da cadeia produtiva do setor, que passa a ter o ciclo completo, desde a produção de matrizes até o produto final da indústria para o consumidor. Mato Grosso do Sul ganha muito com esse empreendimento que também vai gerar emprego e desenvolvimento”, explica.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: