AL vota projeto que permite membro do MPE a concorrer em lista tríplice

Correio do Pantanal

20 fev 2018 às 11:39 hs
AL vota projeto que permite membro do MPE a concorrer em lista tríplice

NOTICIAS AO MINUTO

Deputados em discussão no plenário da AL (Foto: Reprodução/ALMS)

Estão pautadas para votação cinco proposições nesta terça-feira (20), sendo quatro delas em segunda discussão. O PEC (Projeto de Emenda Constitucional) 1/2016, do presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Junior Mochi (PMDB), permite que todos os integrantes ativos da carreira do MPE-MS (Ministério Público do Estado) possam concorrer na formação da lista tríplice.

A proposição altera da seguinte forma o artigo 127 da Constituição Estadual: O Ministério Público do Estado tem por chefe o Procurador-Geral de Justiça, nomeado pelo Governador do Estado, escolhido, dentre os integrantes da carreira, na forma da lei respectiva, em lista tríplice elaborada, através de votação, pelos membros da carreira em efetivo exercício, para o mandato de dois anos, permitida uma recondução.

Já o Projeto de Lei (PL) 188/2016, de autoria do deputado Paulo Corrêa (PR), define conceitos, objetivos, diretrizes e ações da PESA (Política Estadual de Preservação dos Serviços Ambientais), institui o PEPSA (Programa Estadual de Pagamento por Serviços Ambientais) e cria o FEPSA (Fundo Estadual de Pagamento por Serviços Ambientais).

A matéria denomina também os ecossistemas; os serviços ecossitêmicos; as boas práticas ambientais; o pagamento pela PEPSA; o pagador e o provedor de serviços ambientais; a voluntariedade; o arranjo institucional; a instituição executora; a execução do projeto; o termo de compromisso de melhorias, a condicionalidade e adicionalidade.

É diretriz do PEPSA oferecer apoio técnico e financeiro aos municípios na construção dos projetos. O programa terá um conselho específico, formado com representação paritária do Poder Público, da Sociedade Civil, Ministério Público, a fim de estabelecer o próprio regimento, metas, acompanhar resultados e propor aperfeiçoamentos.

A proposição especifica a metodologia do cálculo para a premiação financeira aos provedores. Constituem o FEPSA: 5% da arrecadação estadual destinada ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços); recursos oriundos de medidas judiciais e compensatórias; valores da cobrança pelo uso da água destinado pelos Comitês de Bacias Hidrográficas; dotações consignadas na Lei Orçamentária; doações, empréstimos e transferências realizadas por pessoas físicas ou jurídicas, entre outros.

O PL 234/16, do 2º secretário Amarildo Cruz (PT), dispõe sobre a Instalação de Circuito Fechado de Televisão (CFTV) em asilos, creches e pré-escolas no âmbito de Mato Grosso do Sul. E o PL 213/2017, do Poder Executivo, trata da estadualização da estrada vicinal denominada ITA-022, no trecho da MS-157 que liga o município de Itaporã à gleba Santa Terezinha.

Pautado para a apreciação em primeira discussão, o PL 149/2017, do deputado Felipe Orro (PSDB), obriga os supermercados (varejo ou atacado) a divulgarem a data de validade dos produtos alimentícios por meio da inserção no código de barras.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: