Mãe de Carlinhos se reúne com cônsul da Argentina para trazer de volta ao Recife garoto levado pelo pai

Correio do Pantanal

25 jan 2021 às 22:17 hs
Mãe de Carlinhos se reúne com cônsul da Argentina para trazer de volta ao Recife garoto levado pelo pai

Menino foi levado pelo pai para Buenos Aires em 2015, aos 9 anos. Ele sumiu em 2019, quando deveria ser trazido ao Brasil, e reapareceu em uma delegacia da capital argentina, este mês.

Por G1 PE e TV Globo

25/01/2021 18h09  Atualizado há 3 horas


Mãe do menino Carlinhos se prepara para buscar filho que foi levado pelo pai à Argentina

Mãe do menino Carlinhos se prepara para buscar filho que foi levado pelo pai à Argentina

A fisioterapeuta Cláudia Boudoux, mãe do menino Carlinhos, se reuniu com cônsul da Argentina, no Recife, nesta segunda-feira (25), para organizar a documentação para trazer o garoto de volta à capital pernambucana. Ele morava na cidade com a família materna antes de ir passar o Natal com o pai, em 2015, devido a uma decisão judicial. A viagem ao país vizinho deve ocorrer no fim do mês (veja vídeo acima).

Carlinhos estava desaparecido na Argentina desde 2019, depois que a Justiça determinou que ele, que estava sob os cuidados do pai, voltasse ao Brasil para viver com a família materna. Agora um adolescente, ele apareceu em uma delegacia de Buenos Aires, dizendo que estava perdido.

Atualmente, há uma restrição à entrada de estrangeiros na Argentina, devido à pandemia de Covid-19. No entanto, segundo o cônsul argentino no Recife, Alejandro Funes Lastra, Cláudia poderá buscar o filho por ele ter nascido no país vizinho.

Carlos Attias Boudoux, o Carlinhos, em foto de quando tinha 9 anos e foi levado pelo pai para a Argentina, sem conhecimento da mãe — Foto: Reprodução/TV Globo

Carlos Attias Boudoux, o Carlinhos, em foto de quando tinha 9 anos e foi levado pelo pai para a Argentina, sem conhecimento da mãe — Foto: Reprodução/TV Globo

A irmã de Carlinhos, Caroline, vai viajar com a mãe. Segundo a família de Cláudia, o menino sofreu alienação parental, em ações que tiveram como alvo a fisiotarapeuta.

“Orientamos, por quase duas horas, para que ela, no esquema da pandemia, possa ingressar com sua filha Caroline da melhor maneira possível na Argentina. Ela manifestou muita gratidão, comentou que o estado de Pernambuco está colaborando também. Ela tem uma certidão de nascimento do seu filho, que é Argentino, então ela pode ingressar. Ela vai creditar a documentação como mãe e, por ter um filho Argentino, será possível ingressar no país”, disse o cônsul.

Para poder entrar no país vizinho, tanto Cláudia Boudoux quanto a filha deverão se submeter a exames do tipo RT-PCR, para garantir que não estarão contaminadas pelo novo coronavírus. Ambas também terão que ter um seguro de viagem e de saúde.

“Ela vai ao consulado amanhã e os documentos das duas estarão prontos antes da viagem”, disse o cônsul.

Fisioterapeuta Cláudia Boudoux é mãe do menino Carlinhos, desaparecido na Argentina após ser levado pelo pai — Foto: Reprodução/TV Globo

Fisioterapeuta Cláudia Boudoux é mãe do menino Carlinhos, desaparecido na Argentina após ser levado pelo pai — Foto: Reprodução/TV Globo

Cláudia Boudoux tenta trazer Carlinhos para o Brasil desde que ele e a irmã foram passar o Natal com o pai, que é argentino, em 2015, após uma determinação da Justiça. Eles deveriam retornar no começo de 2016, mas apenas a menina foi deixada na casa da mãe.

O pai chegou a ser preso em 2016 e em 2019 por sequestrar o garoto e impedir que ele se comunicasse com a família materna.

O menino, depois de se apresentar à delegacia, foi levado a um abrigo e está sob a proteção do Conselho Tutelar (veja vídeo abaixo). Agora, a fisioterapeuta aguarda ansiosa o momento em que poderá resgatar o menino e levá-lo para casa.

“Meu amor por ele nunca diminuiu em nenhum milímetro, mas eu não sei o que disseram para o meu filho. Se ele, um dia, ver uma reportagem, eu quero que ele saiba que eu o amo ainda mais. A vontade de cuidar e de devolver a ele a alegria e a tranquilidade é maior ainda”, disse Cláudia Boudoux.

Caso Carlinhos: mãe recebe notícias do filho após dois anos

Cláudia Boudoux teme que o filho tenha sido vítima de alienação parental. Na Argentina, quando o menino sumiu, o pai chegou a dizer que ele fugiu de casa, porque não queria voltar a viver com a mãe. Ela ainda não teve qualquer tipo de contato com o garoto, mas soube, por meio das autoridades, que ele está fisicamente saudável.

“Ele está, hoje, num abrigo onde estão crianças com vários problemas, desaparecidas, ou que os pais estão desaparecidos. Fizeram todos os exames e, fisicamente, ele está bem, mas eu queria ir o mais rápido possível, porque meu filho não merece isso. Tenho muita vontade de correr para abraçá-lo”, declarou.

Cláudia Boudox disse, também, que a foto que recebeu das autoridades argentinas foi o único registro do filho em muito tempo e que ele está bem maior, já que saiu de casa com apenas 9 anos.

“A ansiedade é muita, estou contando as horas, estou imaginando esse momento há cinco anos e a vontade que eu tenho é grande, de devolver a ele a infância dele, devolver todos os momentos que ele perdeu com as irmãs, que choram muito por causa da ausência do irmão. Eu e minhas filhas moramos juntas e vivemos, todo esse tempo, muito unidas, lembrando de Carlinhos, ele nunca foi esquecido”, afirmou.

Justiça

Para o advogado Pedro Henrique Reynaldo Alves, que representa Cláudia Boudoux na Justiça brasileira, o pai manteve a custódia do garoto durante os dois anos em que ele deveria ter voltado ao Brasil, mesmo negando.

Ele disse que a decisão de Cláudia viajar à Argentina no fim de janeiro ocorre porque, para retornar ao Brasil, Carlinhos precisa de uma nova decisão judicial. Entretanto, o juiz que acompanha o caso está de férias e volta ao trabalho no dia 1º de fevereiro. Foi ele quem determinou a volta do menino ao Brasil em 2019, que foi descumprida.

“Há dois anos, quando Carlinhos foi encontrado pela primeira vez, a gente propôs uma mediação do juiz para a entrega do Carlinos da forma menos traumática possível. Isso permitiu que o pai se arrependesse e, então, o menino sumiu novamente. Isso fez com que ele [o pai] fosse preso. Mesmo com a prisão, ele manteve o menino a distância. Provavelmente, o dinheiro acabou. E o menino apareceu na delegacia”, disse o advogado.

O secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, disse que, desde o início, tem estado em constante contato com Cláudia Boudoux.

“Estamos cuidando de trasladar esse jovem de Buenos Aires para cá. Existe uma dificuldade da pandemia, com a proibição de entrada de estrangeiros, especialmente brasileiros, na Argentina, mas, em contato com o consulado aqui no Recife, essas questões estão sendo resolvidas e esperamos que, na próxima semana, o jovem Carlinhos volte à sua terra natal para o convívio de seus irmãos e sua mãe”, disse.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.