Membros do Ministério Público e judiciário de MS protestam contra aprovação do projeto da lei sobre abuso de autoridade
  • Projetando

Correio do Pantanal

20 ago 2019 às 06:30 hs
Membros do Ministério Público e judiciário de MS protestam contra aprovação do projeto da lei sobre abuso de autoridade

Ato foi realizado na tarde desta segunda-feira (19) em frente ao Fórum de Campo Grande.

Por G1 MS

Integrantes do Ministério Público fizeram ato contra o projeto de lei sobre abuso de autoridade na tarde desta segunda-feira (19) em frente ao Fórum de Campo Grande  — Foto: Emerson Arce/TV Morena

Integrantes do Ministério Público fizeram ato contra o projeto de lei sobre abuso de autoridade na tarde desta segunda-feira (19) em frente ao Fórum de Campo Grande — Foto: Emerson Arce/TV Morena

Integrantes do Ministério Público e do judiciário de Mato Grosso do Sul fizeram um ato público na tarde desta segunda-feira (19) em frente ao Fórum de Campo Grande para protestar contra a aprovação pelo Congresso do projeto de lei sobre abuso de autoridade. O texto já está nas mãos do presidente da República, Jair Bolsonaro, que pode sancioná-lo ou vetá-lo em parte ou totalmente.

O ato em Campo Grande faz parte de uma série de manifestações convocadas por entidades que representam o Ministério Público e o Judiciário no estado e no país, contra o texto.

Entidades como a Associação Sul-Mato-Grossense dos Membros do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (Asmmp), Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG), Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul (Amamsul) e Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), reivindicam um amplo debate e discussão sobre a proposta, antes que ela se torne lei.

Para encerrar o ato houve a encenação do que, o projeto, segundo as entidades, representa para a sociedade. Um integrante da Polícia Militar algemou um membro do Ministério Público e entregou flores a um bandido. Toda a encenação foi narrada pelo presidente da Amansul, Eduardo Siravegna, que encerrou o ato público com a leitura de uma Carta, assinada por todas as instituições que apoiaram ou participaram da manifestação.

Dramatização com flores e algemas no ato em Campo Grande, procurou demonstrar a restrição que pode ser imposta com o projeto — Foto: Emerson Arce/TV Morena

Dramatização com flores e algemas no ato em Campo Grande, procurou demonstrar a restrição que pode ser imposta com o projeto — Foto: Emerson Arce/TV Morena

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: