Defensoria encontra pacientes sem água e comida em unidade
  • Projetando

Correio do Pantanal

17 ago 2019 às 07:28 hs
Defensoria encontra pacientes sem água e comida em unidade

Principal unidade pública de Dourados entrou na mira após denúncias

RAFAEL RIBEIRO – Correio do Estado

Defensores públicos durante visita ao Hospital da Vida – Divulgação

A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul conseguiu administrativamente a transferência de oito dos 17 pacientes que estavam internados no setor de nefrologia do Hospital da Vida, em Dourados, e não recebiam os devidos cuidados. Os casos foram considerados urgentes e de média e alta complexidade. Como exemplo, muito deles estavam sequer sem água e comida.

A medida foi tomada após a defensora pública Mariza Fátima Gonçalves, representantes do Ministério Público Estadual, Defensoria Pública da União, Ordem dos Advogados do Brasil do Estado e vereadores do município constatarem o estado caótico a qual se encontrava a unidade de saúde, em visita realizada no último dia 8.

Segundo a defensora pública, nessa vistoria, os pacientes estavam há mais de um dia sem ingerir água ou alimentos, aguardando diagnóstico e sem nenhuma informação da equipe atuante no hospital. Além disso, também foram encontrados pacientes que relataram dores há pelo menos três horas sem serem devidamente medicados.

A situação caótica, conforme a defensora, se instalou devido a uma dívida milionária da unidade de saúde, o que acarretou no não pagamento de fornecedores. O valor não foi informado.

Serviços essenciais, como exames, estão sendo suspensos. Também faltam médicos, insumos básicos e ainda existem atrasos de pagamento e escalonamento de salário de profissionais, o que provoca péssimas condições do serviço oferecido à população.

“A Defensoria Pública trabalha diuturnamente para garantir os direitos individuais e coletivos desses assistidos. Além das transferências, realizamos outros sete atendimentos de pacientes que estavam em situações precárias ou mal assistidos no hospital. Eles receberam orientações jurídicas e foram aconselhados a irem até a sede da Defensoria para outras providências”, revelou a defensora Mariza, que atua em auxílio à coordenadora da 4ª Regional de Dourados.

A defensora relata que um dos assistidos foi levado ao hospital às 17h30 do dia da visita, pelo Corpo de Bombeiros, com fratura na coluna e trauma no abdômen, mas que até ás 21h ainda não havia recebido medicamentos ou tratamento.

Na segunda-feira (12), Mariza participou de reunião com integrantes do Judiciário, OAB, vereadores e representantes da Secretaria de Saúde do Estado e de Dourados, na OAB/MS, 4ª Subseção Dourados/Itaporã.

No encontro, a pauta discutida foi quais medidas a Secretaria de Saúde do Município já tomou para amenizar a situação caótica da Saúde Pública de Dourados, especificamente no Hospital da Vida, após as denúncias de várias irregularidades e intervenção do Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados).

Após ampla discussão, foi deliberado que serão averiguadas a revisão das pactuações entre Hospital da Vida, Hospital Universitário, Hospital Evangélico e Hospital Cassems. Também foi dado o prazo de até o fim deste mês para que a situação seja resolvida antes que medidas judiciais sejam tomadas, como por exemplo, a intervenção do Estado no município. Foi pedido, ainda, mais clareza e rapidez na prestação de contas, por meio do portal da transferência.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: