Produção de veículos cresce 11% em setembro, diz Anfavea

Correio do Pantanal

7 out 2019 às 10:30 hs
Produção de veículos cresce 11% em setembro, diz Anfavea

Foram fabricadas 247,3 mil unidades divididas entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Exportações continuam em queda.

Por G1

Produção de veículos no Brasil — Foto: Fabian Bimmer/Reuters

Produção de veículos no Brasil — Foto: Fabian Bimmer/Reuters

A produção de veículos no Brasil cresceu 10,9% em setembro, divulgou nesta segunda-feira (7) a Anfavea, a associação das fabricantes. A comparação é com o mês de setembro de 2018.

De acordo com a entidade, foram produzidos 247.333 autoveículos (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) no último mês, contra 233.081 há 1 ano.

No acumulado de 2019, entre janeiro e setembro, 2.258.338 exemplares foram fabricados – contra 2.194.349 do mesmo período no ano passado. O aumento, nesse caso, foi de 2,9%.

Já quando a comparação é feita com o mês anterior (agosto), quando foram produzidos 269.758 veículos, houve uma queda de 8,3%.

Caminhões e comerciais leves em alta

Os caminhões permanecem como a categoria mais otimista da indústria e cresceram 14,2% entre os meses de setembro de 2019 e 2018 – os modelos pesados representaram 31,7% desse crescimento.

Depois deles, com produção 10,8% maior nos mesmos períodos, estão os veículos leves. Dentro do segmento, os comerciais leves tiveram crescimento de 47,2%.

Exportações continuam caindo

Apesar do aumento da produção na indústria nacional, as exportações continuaram em queda em setembro, de 7,1%. O número caiu de 39.451 para 36.640 unidades.

A maior redução, porém, só aparece na comparação entre a exportação do acumulado do ano. De janeiro a setembro de 2019 foram enviadas 337.499 veículos para fora do território brasileiro. No mesmo período de 2018 foram 524.291. A queda foi de 35,6%.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: