Henrique Fogaça é criticado por fãs ao alfinetar Maju Coutinho por ‘choro livre’

Correio do Pantanal

20 mar 2021 às 20:22 hs
Henrique Fogaça é criticado por fãs ao alfinetar Maju Coutinho por ‘choro livre’

NOTICIAS AO MINUTO

© Divulgação / Band

A declaração da jornalista Maju Coutinho, 42, ainda reverbera entre famosos e anônimos. Na edição do Jornal Hoje (Globo) da terça passada (16), ela usou a frase “o choro é livre” ao defender que todos fiquem em casa durante a pandemia.

O chef e empresário Henrique Fogaça, 46, publicou em uma rede social críticas ao comentário da jornalista na noite desta sexta (19). “O que vocês acham desse tipo de jornalismo? Agora vaiii….. chega de hipocrisia e descaso com nosso povo BR [brasileiro”, escreveu o chef em uma rede social.

A manifestação de Fogaça ainda traz uma foto da jornalista com a seguinte mensagem: “O choro é livre” … disse Maju Coutinho favorável ao lockdown, diretamente do seu posto de trabalho, com seu salário em dia e com o estômago cheio”. O cantor sertanejo César Menotti foi um dos que curtiu a publicação.

Uma grande parte dos seguidores do chef saíram em defesa de Maju Coutinho. “O descaso é dos jornalistas ou do governo federal que não está ajudando a população, comerciantes e empresários?”, indagou uma seguidora. “Ela já se desculpou, que só posicionou mal e tal. Acho que podemos pegar mais leve, em meio ao caos de uma pandemia, muitas vezes a emoção toma conta!”, disse outra.

“Acho que valeria a pena assistir o vídeo na íntegra, chefão. A frase solta não deixa claro para quem ela falou isso”, disse um seguidor. “Poste também a retratação dela Fogaça. É o justo! Você também já falou merda e vai fazer com ela o mesmo que fizeram com você?”, questionou outro seguidor.

Famoso pelo júri do MasterChef Brasil (Band), Fogaça fechou seu restaurante no shopping VillageMall, no Rio de Janeiro no ano passado, e se viu obrigado a demitir 200 funcionários. Fogaça atribuiu a decisão à Covid-19 e às taxas cobradas pelo shopping. Na época, a Multiplan, operadora do VillageMall, rebateu o chef, alegando que não cobrou aluguel nos meses de recesso.

Maju Coutinho tem recebido muitas críticas nas redes sociais e se desculpou pelo comentário dois dias depois da declaração. Segundo ela, foi uma “expressão infeliz”. “Quis dizer que por mais amargas que sejam as medidas de isolamento, elas são necessárias para evitar o colapso do sistema de saúde, mas entendo perfeitamente os pequenos e médios empresários que são obrigados a manter os negócios fechados.”

Coutinho afirmou ainda que usou a expressão no improviso e que ela precisava de complemento. “Os especialistas são unânimes em dizer que essas são medidas indispensáveis agora para conter a circulação do vírus. O choro é livre, não dá para a gente reclamar, é isso que tem”, havia dito ela na terça-feira (16).
A frase da apresentadora gerou revolta de internautas, que criticaram ela e a Globo nas redes sociais. Entre xingamento e pedidos de explicação, muitos chamaram Coutinho de hipócrita. “Nem todo mundo vai para balada quando está na rua depois da meia-noite”, disse um internauta.

A Globo divulgou nota após o episódio defendendo Maju. “Maria Julia Coutinho quis dizer que, por amargas que sejam, as medidas de isolamento social são necessárias”, afirmou, apontando ainda que ela também pediu “agilidade do governo e do Congresso para atender os empresários e famílias necessitadas”.

A jornalista finalizou suas explicações, na quinta passada (18), com um pedido de desculpas: “Me desculpem pela expressão e vamos nessa, bola pra frente”. A declaração de Coutinho foi elogiada por internautas nas redes sociais. “Parabéns pela atitude”, afirmou um. “Não precisa se desculpar, você falou de maneira certa”, disse outro.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: