Gangue acedeu a telemóveis de celebridades e roubou mais de 80 milhões de euros
  • No Banner to display

  • celular

Correio do Pantanal

11 fev 2021 às 09:44 hs
Gangue acedeu a telemóveis de celebridades e roubou mais de 80 milhões de euros
O gangue terá roubado mais de 100 milhões de dólares em moedas virtuais, ao obter acesso ilegal aos telemóveis
O gangue terá roubado mais de 100 milhões de dólares em moedas virtuais, ao obter acesso ilegal aos telemóveis das vítimasFoto: Nicolas Asfouri / AFP

Tiago RodriguesOntem às 11:24

Oito pessoas foram detidas durante uma investigação internacional, coordenada pela Europol, que descobriu uma rede criminosa que orquestrava ataques informáticos para aceder a telemóveis de vítimas de “alto perfil” ou celebridades para controlar aplicações ou contas bancárias, nos Estados Unidos.

A operação, que teve início durante a primavera de 2020, contou com a colaboração de autoridades policiais do Reino Unido, Estados Unidos, Bélgica, Malta e Canadá, com atividades internacionais coordenadas pela Europol.

Gangue roubou mais de 100 milhões de dólares de milhares de vítimas em 2020

Durante a investigação foi descoberta uma “rede composta por uma dúzia de criminosos que trabalhava em conjunto para aceder aos números de telemóvel das vítimas e assumir o controlo das suas aplicações ou contas alterando as palavras-passe”, informa o Serviço Europeu de Polícia em comunicado, esta quarta-feira.

Na terça-feira, foram detidos oito criminosos ligados ao gangue, depois de outras duas detenções, uma em Malta e outra na Bélgica.

“Os ataques orquestrados pela rede criminosa fizeram milhares de vítimas ao longo do ano de 2020, incluindo influenciadores famosos da Internet, estrelas do desporto, músicos e respetivas famílias”, acrescenta a Europol.

O gangue terá roubado mais de 100 milhões de dólares (cerca de 82 milhões de euros) em moedas virtuais, depois de obter acesso ilegal aos telemóveis das vítimas, numa prática conhecida como “SIM-swapping”, um golpe de troca de SIM para aceder a contas pessoais através de uma falha na autenticação de dois fatores.

O acesso aos telemóveis das vítimas permitiu roubar dinheiro, moedas virtuais e informações pessoais, incluindo contactos sincronizados com contas online.

Fraude cresce como “ameaça do crime organizado na Internet”

Os criminosos também invadiram contas de redes sociais para publicarem conteúdos e enviarem mensagens a fazerem passar-se pelas vítimas.

O “SIM-swapping” é um tipo de fraude identificado como “uma tendência chave no aumento da última avaliação da ameaça do crime organizado na Internet da Europol”.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: