Casa Branca quer impedir livro de Bolton: “Tem informações confidenciais”

Correio do Pantanal

29 jan 2020 às 17:05 hs
Casa Branca quer impedir livro de Bolton: “Tem informações confidenciais”

O advogado de John Bolton recebeu uma carta do Conselho Nacional de Segurança em que é dito que o livro não pode ser publicado na sua atual forma por conter informações que são “top secret”.

John Bolton esteve na equipa de Trump  até setembro de 2019
John Bolton esteve na equipa de Trump até setembro de 2019© EPA

DN

ACasa Branca quer impedir a publicação do livro do ex-conselheiro de segurança nacional John Bolton, por estarem incluídas na obra informações confidenciais. O Conselho de Segurança Nacional diz que Bolton não pode publicar, na sua forma atual, um livro que contém alegadamente provas importantes para o julgamento de impeachment do presidente Donald Trump, noticia a AFP.

O Conselho de Segurança Nacional (CSN) disse, após uma revisão preliminar do manuscrito – um processo de verificação aplicado a qualquer funcionário da Casa Branca que escreva livros – que a obra contém “quantidades significativas de informações classificadas”.

“Algumas dessas informações estão no nível Top Secret”, disse o CSN numa carta enviada ao advogado de Bolton, Charles Cooper, acrescentando que “o manuscrito não pode ser publicado ou divulgado sem a exclusão dessas informações classificadas”.

Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.SUBSCREVER

Segundo a CNN, a carta, datada de 23 de janeiro, diz que algumas das informações foram classificadas no nível “top secret”, o que significa que podem “causar danos excecionalmente graves à segurança nacional”.

“O manuscrito não pode ser publicado ou divulgado de outra forma sem a exclusão dessas informações classificadas”, aponta a missiva.

O livro trata das memórias de Bolton na sua passagem pela Casa Branca e tem o título de “The Room Where It Happened: A White House Memoir” (A sala onde aconteceu: um livro de memórias da Casa Branca).

John Bolton foi conselheiro de Segurança Nacional até setembro passado. Depois de deixar a equipa de Trump, Bolton escreveu o livro em que revela que Donald Trump, alegadamente, fez depender a ajuda militar à Ucrânia de uma investigação de Kiev aos seus rivais políticos, concretamente a Joe Biden. A possibilidade de Bolton depor no Senado tem agitado o processo de destituição em curso.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: