Não foi caso isolado, diz mãe sobre estupro no HR
  • No Banner to display

  • celular

Correio do Pantanal

5 fev 2021 às 21:52 hs
Não foi caso isolado, diz mãe sobre estupro no HR

Não foi caso isolado, diz mãe sobre estupro no HR
“Que Deus enterre a carreira dele”, completa a mãe da paciente que diz ter sido estuprada por um enfermeiro do HRMS
Por Ana Paula Chuva e Bruna Marques | 05/02/2021 12:54
12

Mãe conversou com a reportagem nesta sexta. (Foto: Henrique Kawaminami)
Pensionista, adêmica de Direito e mãe da paciente, de 36 anos, vítima de suposto estupro no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), acredita que o caso da filha não tenha sid isolado e quer carreira de enfermeiro “enterrada”.

Ao Campo Grande News, a mulher de 56 anos, contou que até agora não sabe o que a filha tem, mas acredita que seja mesmo covid-19, já que ela está respirando por aparelhos.   Segundo ela, na noite de quinta-feira (4), a filha teve flashs do momento em que diz ter sido estuprada.

Sinto revolta e impotência porque não consegui resguardar a integridade da minha filha. Achei que ela estava segura, mas pelo contrário. Ela teve esse encontro com um monstro, uma pessoa maldita, ser humano asqueroso”, disse a pensionista.

A filha, que está internada no Hospital Regional desde o dia 1º de fevereiro, mora com ela na Vila Sobrinho há mais de 2 anos e o abuso teria acontecido por volta das 3h da madrugada de ontem.

Dois dos quatro cachorros no quarto da paciente. (Foto: Henrique Kawaminami)
“Quero olhar na cara dele e dizer que ela tem mãe, família  e que o que ele fez desculpa nenhuma. Nem ele ser preso, vai apagar da mente e da alma dela o sofrimento. Quero que a Justiça pare esse covarde, porque tenho certeza que minha filha não foi um caso isolado”, relatou a mulher.

A acadêmica conta que a filha é muito religiosa e quando não está em trabalhando, está  na igreja, ou participando de reuniões on-line.

“Ela ama os animais. Tem a vida espiritual em dia. Esses são os filhos de quatro patas dela [cachorros que estavam no quarto da vendedora], ficam aqui porque estão sentindo a falta dela”, detalha a mãe.

Ontem, uma mensagem da filha deixou a mãe ainda mais revoltada e sem palavras para descrever a situação que está passando.

Mensagem enviada ontem pela paciente. (Foto: Henrique Kawaminami)
“Ela me pediu perdão que nunca foi a intenção dela dar tanto trabalho, ainda pediu para Deus ter misericórdia da alma dela. Difícil até achar uma palavra para descrever minha situação. Ele foi um covarde, não tem explicação. Nem animal merece ser igualado a ele. Que Deus enterre a carreira dele”, finalizou.

O caso foi registrado como estupro de vulnerável na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) e está sendo investigado.

Ao Campo Grande News, o HRMS disse que não se manifestará a respeito. “Reiteramos que todos os casos de supostas infrações nos diversos campos, administrativo e assistencial, o HRMS pauta-se nos ditames éticos e legais vigentes para tomada de providências”, disse em nota.

Já o COREN/MS (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul ) informou que solicitou acesso aos autos de investigação do caso às autoridades policiais e está trabalhando junto à equipe da unidade de saúde para apurar se o ato de fato foi praticado por profissional de enfermagem, para adoção das medidas cabíveis. – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: