É tetra! Estrela de Lázaro brilha novamente, Brasil vira sobre o México e é campeão do Mundial Sub-17

Correio do Pantanal

17 nov 2019 às 20:24 hs
É tetra! Estrela de Lázaro brilha novamente, Brasil vira sobre o México e é campeão do Mundial Sub-17

Seleção brasileira erra muitas chances, sai perdendo por 1 a 0, mas Kaio Jorge, de pênalti, e atacante do Flamengo garantem título para o time brasileiro

Acesso gratuito

Faça login e acompanhe o vídeo ao vivo da partidaASSISTA

[object Object]

Pós-Jogo De Brasil X México

Final do Mundial Sub-17

[object Object]

47′ 2T Gol

Gol do Brasil! Yan cruza da direita, e Lázaro bate de primei…

[object Object]

40′ 2T Lance Normal

Kaio Jorge divide com o goleiro Garcia, mas a zaga corta, ao…

[object Object]

38′ 2T Gol

Gol do Brasil! Kaio Jorge cobra o pênalti no canto direito. …

[object Object]

36′ 2T Lance Normal

Após ataque do Brasil, árbitro marca pênalti com o auxílio d…

[object Object]

28′ 2T Lance Normal

Veron rola para Lázaro, que bate de primeira, por cima do tr…

[object Object]

20′ 2T Gol

Gol do México! González cabeceia para o chão no canto direit…

[object Object]

16′ 2T Lance Normal

Peglow chuta forte, rente à trave esquerda do México, aos 16…

  • BRASIL É TETRA SUB-17A virada épica contra a França na semifinal preparou a torcida. Mas a seleção brasileira sub-17 gosta de emoção. Empurrado pelo “Eu acredito!” nas arquibancadas, o Brasil reagiu após sair perdendo, venceu o México de virada por 2 a 1 e conquistou seu quarto título do Mundial Sub-17. A estrela novamente ficou com Lázaro, atacante do Flamengo, que entrou no segundo tempo para fazer o segundo gol brasileiro. A seleção ainda exorciza a freguesia que mantinha para os mexicanos na competição.Lázaro comemora o gol do título mundial sub-17 do Brasil (Foto: Sergio Moraes/Reuters)
  • PRIMEIRO TEMPO: FALTOU PONTARIAO Brasil foi para o intervalo com 13 finalizações e quatro chutes ao gol. E muita frustração. A equipe brasileira criou muito. Apenas Veron desperdiçou três boas oportunidades. Peglow acertou a trave. Patryck obrigou García a fazer uma boa defesa com chute de fora da área. Mas faltou pontaria. E diante do volume de jogo com o placar zerado, bateu nervosismo em um momento. O México foi mais cadenciado, mas assustou na bola aérea. No entanto, não conseguiu marcar.
  • SEGUNDO TEMPO: “EU ACREDITO”Os primeiros minutos foram no mesmo tom da etapa inicial. Kaio Jorge desperdiçou uma chance, Patryck parou em Garcia novamente, Peglow errou por um triz. O Brasil não vencia o gol mexicano. Até ser vencido. Após boa jogada de Pizzuto, o camisa 6 cruzou da esquerda, e González venceu a zaga brasileira para, de cabeça, abrir o placar. Dalla Déa se lançou ao ataque. Colocou Matheus Araújo e Lázaro. Mas foi com a ajuda do VAR que a equipe reagiu. Com ajuda do vídeo, o árbitro marcou pênalti após revisão, e Kaio Jorge converteu. Aos 47, Yan fez cruzamento primoroso para Lázaro estufar as redes e garantir o título brasileiro.Kaio Jorge marcou o primeiro gol do Brasil, de pênalti (Foto: Sergio Moraes/Reuters)
  • É TETRA!O Brasil chega ao seu quarto título do Mundial Sub-17. Conquistou a competição também em 1997, 1999 e 2003. Os mexicanos seguem com duas taças. Agora, a seleção brasileira encosta na Nigéria, que é o maior vencedor da Copa do Mundo para menores de 17 anos, com cinco taças. 
  • QUE ESTRELA!Diante da dificuldade para marcar, a torcida não hesitou em gritar por Lázaro no começo da segunda etapa. E ele entrou aos 25 minutos, pouco depois do gol mexicano. Primeiro, ele quase marcou em um lance parecido com o gol diante da França, em finalização da ponta esquerda. Mas foi aos 47 minutos, após lindo cruzamento de Yan, que fez o gol do título. O atacante entrou na segunda etapa da semifinal contra a França e da decisão contra o México para marcar os dois gols das viradas que garantiram o tetra brasileiro.Lázaro gol Brasil seleção brasileira sub-17 México (Foto: Alexandre Loureiro/ CBF)
  • XÔ, FREGUESIA!O Brasil exorcizou a freguesia que mantinha para o México completou no Mundial Sub-17. Agora são cinco confrontos pelo torneio, com duas vitórias brasileiras (em 1985 e em 2019), e duas derrotas, uma delas na final de 2005, e um empate seguido de eliminação nos pênaltis, nas quartas de final de 2013.
ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: