Entrevista com o Dr. Osiel de Souza – Pré candidato a Prefeito pelo SOLIDARIEDADE

Correio do Pantanal

6 ago 2019 às 18:01 hs
Entrevista com o Dr. Osiel de Souza – Pré candidato a Prefeito pelo SOLIDARIEDADE

Entrevista com o Dr. Osiel de Souza

CP: Dr. Osiel de Souza muito obrigado por nos receber em seu escritório para este bate papo.

Dr. Osiel: Eu agradeço a visita de vocês.

CP: Como está a família?

Dr. Osiel: Graças a Deus está tudo bem. Os meninos (Bruno, Gabriel e Garielly) estão concluindo a faculdade de direito em Cuiabá-MT e em breve estarão de volta a Coxim. Atualmente eu e minha esposa estamos trabalhando bastante, ela em sua área na educação, leciona o dia todo e eu no escritório. Nos dias de folga, participamos de algumas ações sociais.

CP: Muito bem. Vamos Falar um pouco sobre nossa cidade. Coxim tem um problema sério de desemprego, principalmente entre o público jovem. Como o Sr. vê essa situação?

Dr. Osiel: Veja bem, inicialmente precisamos transformar Coxim em um polo educacional, ampliando as opções de cursos que ainda são limitadas. Eu acredito que na medida em que ampliarmos o acesso a outros cursos, o próprio ciclo educacional irá proporcionar uma grande demanda de empregos. A exemplo, podemos citar o curso de gastronomia, que é uma graduação com duração média de quatro anos para bacharelado e dois anos para tecnológico, onde o graduando aprende com disciplinas práticas e teóricas. Boa parte do curso é realizado em cozinhas montadas pela instituição de ensino que o oferece, onde o aluno aprimora o preparo de bebidas como coquetéis e drinques e habilidades com confeitaria, cozinha brasileira e internacional, panificação e sobremesas. Considerando que a região norte do Estado é uma região festeira, este curso, sem dúvida, proporcionaria muito emprego não só durante a graduação mas, também, e principalmente pós curso. Mas eu penso que há inúmeras outras medidas que podem ser discutidas entre o Poder Público em parceria com o setor privado, que podem gerar emprego em Coxim, como por exemplo conceder incentivos fiscais a pequenas fábricas de calçados e ao ramo têxtil para suas instalações por aqui, o que geraria inúmeros empregos diretos e indiretos, incentivar, também, fábricas de doces e desburocratizar a agricultura familiar. Por fim, explorar a cultura e o turismo como fonte de geração de emprego e renda é ótimo negócio. Os olhos do mundo estão voltados para os nossos rios, nosso pantanal, temos que explorar o turismo nesse sentido.

CP: Recentemente, presenciamos um embate entre a população e o Poder Público em relação a nova cobrança da taxa do lixo, como o Sr. vê essa situação?

Dr. Osiel: Um contrassenso. A s informações são de que o município passa por uma crise sem precedentes, mas você vê o executivo comprando uma camionete para o gabinete no valor aproximado de R$ 100.000,00 (cem mil reais); Você vê o executivo gastando 750.000 (setecentos e cinquenta mil reais) com publicidade; Você vê a farra das diárias, farra de verbas de gabinetes, farra de combustível, cartões corporativos; Você vê a câmara de vereadores formulando contratos de publicidade no valor de R$ 1.500,000 (um milhão e meio de reais) para divulgar, por exemplo, campanha do IPTU, que é um imposto de competência exclusiva do executivo!! Que crise é essa? Ainda querem arrecadar mais dinheiro do povo com um aumento abusivo da taxa do lixo? Devem colocar a mão na consciência e libertar o povo. Se calcular a taxa do lixo com a taxa de iluminação pública, o valor passa dos R$ 50,00 (cinquenta reais), e sabemos que têm famílias em Coxim que não têm condições alguma de pagar esses valores. Investir na arrecadação do ICMS Ecológico produz resultados práticos a curto prazo, melhor do que sacrificar o povo com aumento de taxas, aliás, o povo não pode pagar por um erro que não cometeu, o “aterro sanitário” é filho de um lobo solitário. 

CP: Já que você falou em crise financeira, o Município há muito se queixa de crise, como o Sr. analisa essa questão?

Dr. Osiel: Pode ser que se encontra em crise, mas em tempos de crise financeira o que se deva fazer, segundo especialistas?  Reduzir gastos.

Em 2015, o Município recebeu do Governo do Estado, o prédio onde funcionava o antigo fórum, um prédio com dois andares mais o térreo, que comporta perfeitamente algumas secretarias municipais. Pois bem, já se passaram quatro anos e até o momento nada foi feito. O prédio se encontra em total situação de abandono e o executivo continua pagando aluguéis de várias secretarias do município. O dinheiro desses alugueis poderiam ser investidos na saúde, por exemplo.

Outra situação, o município de Coxim não comporta 13 vereadores. Nós propusemos através de um projeto de lei de inciativa popular para reduzir o número de vereadores para 09, essa redução, aliada à sobra dos repasses do duodécimo, que hoje, varia em tordo de R$ 330.000,00 (trezentos e trinta mil reais), que o Município repassa para a câmara de vereadores por mês, renderia uma sobra equivalente a mais de R$ 4.000,000,00 (quatro milhões de reais), que poderia ser devolvido ao município para aplicar em asfalto, por exemplo, como faz Chapadão do Sul. Mas dos treze vereadores, apenas dois vereadores aceitaram a proposta, sendo que o presidente da câmara, foi taxativo em rejeitar o projeto.

CP: Por falar em grupo político, o Sr. hoje pertence a qual grupo?

Dr. Osiel: Embora eu esteja filiado ao SOLIDARIEDADE eu pertenço ao grupo do povo.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.