Um porta-aviões de gelo. A arma que os britânicos planearam

Correio do Pantanal

27 mar 2018 às 07:28 hs
Um porta-aviões de gelo. A arma que os britânicos planearam

DN

Para fazer face aos bombardeios dos submarinos alemães

Durante a II Guerra Mundial os britânicos estudaram a hipóteses de construir um porta-aviões de gelo, tudo para fazer face aos inúmeros navios que os submarinos alemães afundavam à marinha britânica.

Com base no projeto habakkuk, da autoria de Geoffrey Pyke, a ideia passava por construir um porta-aviões com uma combinação de gelo e serragem (14% de serragem para 86% de gelo), mais resistente e mais duro que o gelo. O porta-aviões iceberg teria 1200 metros de comprimento e 180 de largura e seria movido por motores elétricos. Em caso de um bombardeio ao navio por parte dos submarinos alemães, o porta-aviões poderia ser reparado adicionando água e celulose à cratera da explosão e congelando a mistura.

Os britânicos, com ordens do então primeiro-ministro Winston Churchill, chegaram a construir um modelo de mil toneladas num lago canadiano, mas o projeto acabaria por ser abandonado no início dos anos 40.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: