Tempestade tropical mata mais de 100 pessoas nas Filipinas

Correio do Pantanal

23 dez 2017 às 08:44 hs
Tempestade tropical mata mais de 100 pessoas nas Filipinas

Devastação provocada pela tempestade na ilha Mindanao

Mais de 100 pessoas morreram na passagem de uma tempestade tropical no Sul das Filipinas. Outras dezenas estão desaparecidas.

A tempestade Tembin provocou inundações instantâneas e deslizamentos de terra em partes da ilha Mindanao.

Duas cidades que foram duramente atingidas são Tubod e Piagapo, onde várias casas foram soterradas.

A Tembin, com ventos de mais de 80 quilômetros por hora, já passou por Mindanao e agora está a caminho da ilha de Palawan. Depois, está previsto que a tempestade prossiga para o oeste, atingindo o sul do Vietnã em cerca de três dias.

As Filipinas sofrem frequentemente com tempestades tropicais devastadoras – mas a ilha Mindanao não costuma ser atingida.

Tembin, conhecido nas Filipinas como “Vinta”, começou a atingir Mindanao na sexta-feira (22). Em algumas áreas, foi declarado estado de emergência.

Mapa de Mindanao e Palawan
Image captionMapa mostra que a tempestade Tembin já saiu de Mindanao e está se aproximando de Palawan, a oeste

“O rio subiu e a maioria das casas desabou. A vila não existe mais”, disse Gerry Parami, policial de Tubod, em entrevista para a AFP. Segundo ele, voluntários estão escavando para tentar encontrar corpos na vila da Dalama.

“Nós mandamos resgate, mas eles não estão conseguindo muitos resultados, por causa das pedras”, falou Saripada Pacasum, outra autoridade da região, também em entrevista para a AFP.

Equipe de resgate retira moradores de Davao, na ilha Mandanao, em um bote
Image captionEquipe de resgate retira moradores de Davao, na ilha Mandanao / Foto: AFP

Corte de energia e falhas nas linhas de comunicação estão dificultando os esforços de resgate.

Semana passada, a tempestade tropical Kai-Tak atingiu a área central das Filipinas, matando dezenas de pessoas.

A região ainda está se recuperando do tufão Haiyan, que matou mais de 5 mil pessoas e afetou milhões em 2013.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: