Temer minimiza impopularidade e defende seu legado em discurso de despedida na ONU

Correio do Pantanal

25 set 2018 às 18:53 hs
Temer minimiza impopularidade e defende seu legado em discurso de despedida na ONU

O presidente Michel Temer na ONU, nesta terça-feiraDireito de imagemAFP
Image captionO presidente Michel Temer (MDB) defendeu seu legado na ONU e disse que deixa o país ‘melhor do que recebeu’

Michel Temer começou a se despedir oficialmente da Presidência da República nesta terça-feira, após discursar pela terceira – e última – vez na abertura da sessão de debates da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York.

Desde 1949, o Brasil é o responsável pelo primeiro discurso da reunião. A posição é importante, já que antecede a fala do presidente dos Estados Unidos, anfitriões e principais financiadores da ONU, e de líderes de quase 200 países.

Como a BBC News Brasil adiantou, o discurso do presidente teve tom de despedida e trouxe o que Temer tem defendido a interlocutores próximos, empresários e políticos como principais legados de seu governo – um dos mais impopulares do planeta, com 90% de desaprovação e 6% de aprovação, segundo pesquisa divulgada pelo Ibope no dia 19.

“O país que entregarei a quem o povo brasileiro venha a eleger é melhor do que aquele que recebi”, disse Temer, defendendo as políticas econômicas do governo. “Dissemos não ao populismo e vencemos.”

Durante a semana um diplomata descreveu à BBC News Brasil, na condição de anonimato, os objetivos do discurso.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: