Suspeito de matar ex asfixiada em apartamento é preso após 47 dias foragido em MS

Correio do Pantanal

30 jul 2019 às 06:25 hs
Suspeito de matar ex asfixiada em apartamento é preso após 47 dias foragido em MS

De acordo com a polícia, Fábio Braga do Amaral foi preso em uma casa que estava sendo construída por ele, em Bodoquena. Laudo confirma asfixia em morte.

Por G1 MS/TV Morena — Campo Grande

O homem suspeito de matar a ex asfixiada em um apartamento de Campo Grande, foi preso na manhã desse domingo (28), em Bodoquena, a 265 km de Campo Grande. De acordo com a polícia, Fábio Braga do Amaral, de 32 anos, foi localizado após uma denúncia depois de 47 dias foragido.

Segundo a polícia, ele é suspeito de matar Érica Aguilar Pereira, de 39 anos. O crime foi no dia 11 de junho no apartamento da vítima.Fábio também tentou asfixiar a filha de Érica, de 15 anos.

De acordo com a delegada Joilce Silveira Ramos, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), o suspeito foi preso em uma construção onde ele trabalhava como pedreiro. No local havia um pequeno quarto onde Fábio estava morando. Ele deve ser transferido ainda nesse domingo para Campo Grande e nesta segunda-feira (29), será interrogado.

Érica foi encontrada morta pela filha, em cima da cama — Foto: Reprodução/TV Morena

Érica foi encontrada morta pela filha, em cima da cama — Foto: Reprodução/TV Morena

Policiais do Grupo de Operações e Investigações da Polícia Civil (GOI) que trabalhavam em Bonito (MS), durante o festival de inverno, a 74 km de Bodoquena, receberam a informação de que Fábio estaria na região.

O advogado do suspeito, Amilton de Almeida, diz que o caso é de homicídio culposo, não feminicídio e que Fábio não sabia da morte de Érica.

A delegada Joilce Silveira Ramos, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), informou que o advogado e nem a família do suspeito sabiam onde Fábio estava escondido e que o suspeito teria informado aos familiares que não iria se entregar porque estava com medo de ser preso. O caso foi registrado como feminicídio.

Vasta ficha criminal

suspeito de matar Erica já foi condenado por homicídio em 2006. Segundo o processo, ele é condenado por matar um homem enquanto tentava atingir outro, em 2004.

Na ocasião do julgamento em 2006, ele tinha passagens pela polícia por porte ilegal de arma, roubo, receptação, recusa de dados sobre a própria identidade e desacato. De acordo com a Polícia Civil, ele tem também passagens por estupro em 2008 e tráfico de drogas em 2010.

Entenda o caso

Além do assassinato de Erica, ele tentou matar a filha dela, de 15 anos. Foi o filho mais novo da vítima, de 5 anos, que viu o suspeito em cima da irmã e gritou. Ele fugiu em seguida.

Segundo relato da adolescente a uma testemunha, ele teria levado a família “para comer um lanche” e quando retornaram à casa, cometeu o crime. A polícia foi acionada pela testemunha, uma vizinha, e ao chegar no local encontraram a mulher morta em cima da própria cama, com os braços amarrados no móvel com lençóis e parte da roupa abaixada. Já a menina tinha marcas de esganadura no pescoço.

Tia da vítima retornou ao imóvel onde ocorreu crime após 10 dias em MS — Foto: Glaucea Carvalho/Arquivo Pessoal

Tia da vítima retornou ao imóvel onde ocorreu crime após 10 dias em MS — Foto: Glaucea Carvalho/Arquivo Pessoal

O caso está sendo tratado como feminicídio. Até o momento, a investigação aponta que eles tiveram um relacionamento, terminaram há pouco tempo e estavam tentando reatar.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: