Surto de aluno provoca onda de boatos e pânico na UFMS

Correio do Pantanal

26 set 2018 às 11:04 hs
Surto de aluno provoca onda de boatos e pânico na UFMS

Rumores de que o estudante está armado e ameaçou outros alunos e professores de morte assustou acadêmicos

Anahi Zurutuza e Izabela Sanchez
Brinquedos destruídos em instalação de arte (Foto: Izabela Sanchez)
Brinquedos destruídos em instalação de arte (Foto: Izabela Sanchez)

Um aluno do curso de Artes Visuais teve um surto psiquiátrico e destruiu uma obra de arte contemporânea exposta no corredor central da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). A consequência foi uma onda de boatos que causa pânico nos acadêmicos.

Conforme descreveram estudantes e um funcionário da segurança, nesta segunda-feira (25), o aluno quebrou brinquedos cor-de-rosa que faziam parte de uma instalação exposta para a Semana Mais Cultura da UFMS. Uma placa com os dizeres “obra descaracterizada por depredação” foi afixado na exposição e segurança foi reforçada.

Além disso, ainda conforme acadêmicos, que preferem não revelar o nome, o colega entrou em um dos banheiros femininos e espalhou pedaços de frango pelo local.

Boatos de que o estudante está armado e ameaçou outros alunos e professores de morte causou pânico.

Constância Lucas, professora do curso de Artes Visuais, confirmou ao Campo Grande News que um dos graduandos, que tem problemas psiquiátricos, danificou a obra em exposição. “É uma obra de arte contemporânea e ele discorda”.

Ela, porém, nega que o aluno tenha sido flagrado armado e diz que além da reitoria, a família dele foi acionada. “Ele não atacou ninguém fisicamente”.

Por meio da assessoria de imprensa, a reitoria da UFMS informou que “determinou imediata instauração de sindicância para apuração dos fatos ocorridos na Faculdade de Letras, Artes e Comunicação no dia 24/09/2018” e que também acionou a Polícia Federal.

As imagens das câmeras de segurança serão usadas na investigação.

UFMS destaca que não há motivo para pânico. “As atividades de ensino, pesquisa e extensão estão sendo realizadas normalmente. O Festival Mais Cultura, que realiza mais de 500 intervenções, continua até domingo, dia 30”.

A universidade, na mesma nota, destacou que é contrária a “manifestações de ódio e intolerância”.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: