Quarto líder de esquema milionário de golpes é preso pela PF em Brasília

Correio do Pantanal

19 abr 2018 às 09:07 hs
Quarto líder de esquema milionário de golpes é preso pela PF em Brasília

Segundo a PF, Sandro Aurélio Fonseca Machado, preso hoje, dava continuidade aos golpes à investidores, mesmo com a prisão dos outros três líderes do esquema.

Adriano Fernandes – Campo Grande News
Por meio da empresa Company Consultoria Empresarial, eles vendiam a existência de uma suposta mina de ouro cujos valores, repatriados para o Brasil, são cedidos, vendidos ou até mesmo doados mediante pagamento. (Foto: Guilherme Henri)Por meio da empresa Company Consultoria Empresarial, eles vendiam a existência de uma suposta mina de ouro cujos valores, repatriados para o Brasil, são cedidos, vendidos ou até mesmo doados mediante pagamento. (Foto: Guilherme Henri)

Foi preso, nesta quarta-feira (18) em Brasília, DF, o quarto suspeito de ser um dos operadores do esquema de golpes investigados pela PF (Polícia Federal) na operação Ouro de Ofir. Segundo a PF, Sandro Aurélio Fonseca Machado, preso hoje, dava continuidade aos golpes à investidores, mesmo com a prisão dos outros três líderes do esquema.

Ele se passava por uma pessoa influente na política brasiliense, responsável pela “liberação” dos valores astronômicos prometidos aos clientes, junto aos Bancos e Governo Federal. O mandado de prisão preventiva foi expedido pela 4ª Vara Criminal de Campo Grande/MS, onde tramita a ação principal, mas o investigado permanecerá em Brasília/DF.

Além de Sérgio, Anderson Flores de Araújo, Sidney Anjos Peró e Celso Éder Gonzaga de Araújo, apontado como o chefe do esquema, eram os mentores da organização criminosa que “vendia ilusão”.

Por meio da empresa Company Consultoria Empresarial, eles alegavam  a existência de uma suposta mina de ouro cujos valores, repatriados para o Brasil, são cedidos, vendidos ou até mesmo doados mediante pagamento.

A “apólice” mínima era de R$ 1 mil, sob a premissa de que o investimento se transformaria em milhões, bilhões e até trilhões. Mas há quem tenha investido R$ 500 mil. A estimativa é que 25 mil pessoas caíram no golpe.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: