Pyongyang acusa EUA de querer dinamitar aproximação com Seul

Correio do Pantanal

19 fev 2018 às 06:59 hs
Pyongyang acusa EUA de querer dinamitar aproximação com Seul

A Coreia do Norte acusou os Estados Unidos de estarem a pressionar a retoma das manobras militares com a Coreia do Sul assim que terminarem os Jogos Olímpicos, dinamitando a aproximação alcançada

“Os Estados Unidos têm como objetivo pôr fim ao degelo nas relações entre as duas coreias imediatamente depois de se apagar a chama olímpica. Os Estados Unidos estão a fazer ruído para retomarem os seus exercícios militares com Seul logo depois do encerramento dos Jogos”, refere um editorial do jornal norte-coreano Rodong.

Seul e Washington adiaram as suas manobras militares conjuntas de primavera, que normalmente se realizam entre março e abril e que Pyongyang considera que são um ensaio para invadir o seu território, para não coincidirem com os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos que decorrem em PyeongChang, na Coreia do Sul.

Após anos de relações difíceis, as duas Coreias alcançaram históricos acordos em janeiro que permitiram a participação do Norte nos Jogos Olímpicos e a visita de uma delegação norte-coreana que foi a primeira visita a solo sul-coreano de um membro da dinastia Kim, ao incluir Kim Yo-jong, irmã do líder de Pyongyang, Kim Jong-un.

Seul considera que esta aproximação com o Norte pode levar os Estados Unidos da América e a Coreia do Norte a sentarem-se, de novo, à mesa das negociações, apesar de a Casa Branca se ter mostrado cética, insistindo que o regime norte-coreano deveria mostrar, primeiro, as suas intenções para a desnuclearização.

“O risco de aumentar a tensão na península coreana está a crescer, pois os ativos estratégicos e um grande número de tropas dos Estados Unidos estão a aproximar-se da península e das suas imediações”, lê-se ainda no editorial, citado pela agência Efe.

A implantação de uma maior presença militar dos Estados Unidos na península coreana foi acordada no ano passado por Seul e Washington perante os testes de armas do regime de Pyongyang.

O dirigente norte-coreano, Kim Jong-un, convidou o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, a participar numa cimeira em Pyongyang, anunciou no dia 10 Seul.

De acordo com o convite, transmitido pela irmã do líder norte-coreano, o dirigente está pronto para se reunir com Moon “tão brevemente quanto possível”, segundo um porta-voz da Casa Azul, a presidência sul-coreana.

A acontecer, o encontro será o terceiro do género, depois de o pai do atual líder norte-coreano, Kim Jong-un, se ter reunido com os sul-coreanos Kim DAe-jung e Roh Moo-Hyun, em 2000 e 2007.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: