Peixes colocados em quarentena esperam há quase 5 anos pelo Aquário do Pantanal

Correio do Pantanal

23 jul 2019 às 16:19 hs
Peixes colocados em quarentena esperam há quase 5 anos pelo Aquário do Pantanal

O Centro de Pesquisa e Reabilitação da Ictiofauna, conhecido como Aquário do Pantanal, foi lançado em 2011 pelo então governador André Puccinelli (PMDB) e já consumiu mais de R$ 200 milhões dos cofres públicos.

Por G1 MS e TV Morena

23/07/2019 15h02  Atualizado há 2 horas


Peixes nos tanques de quarentena no Parque dos Poderes em MS — Foto: TV Morena/Reprodução

Peixes nos tanques de quarentena no Parque dos Poderes em MS — Foto: TV Morena/Reprodução

Peixes colocados em quarentena para o Aquário do Pantanal, em Campo Grande, esperam há quase 5 anos pela conclusão da obra que já custou mais de R$ 200 milhões. Desde que chegaram, os animais são mantidos em tanques em uma área dentro do Parque dos Poderes, na capital, que com o passar do tempo tornou-se um laboratório de pesquisas.

O local é considerado o maior laboratório de peixes pantaneiros do mundo, com 150 tanques ativos que abrigam 189 espécies de peixes neotropicais, 135 espécies pantaneiras, além de 55 da Amazônia, 14 espécies africanas e outras da Oceania, Ásia e da América Central.

Desde que foram colocados nos tanques, muitos peixes morreram e outros reproduziram-se. Em 2015, eram menos de 7 mil peixes na quarentena, atualmente, o número saltou para 10 mil.

Os últimos filhotes que nasceram são de uma espécie de cascudo pantaneiro, é o primeiro registro dessa reprodução em laboratório no mundo. A reprodução das espécies é comemorada pelos pesquisadores não somente pela multiplicação, mas também pela certeza de que estão adaptando-se.

“Possuem um relógio biológico, então no período de Piracema que vai de novembro a janeiro, esses peixes mesmo confinados ficam aptos a reprodução”, explicou o coordenador técnico, Heriberto Gimenez Junior.

Anúncio de retomada das obras

O governo de Mato Grosso do Sul anunciou em maio que iria retomar as obras inacabadas do Aquário do Pantanal. Segundo o vice-governador e secretário estadual de Infraestrutura, Murilo Zauith, a alternativa encontrada para isso será fazer cinco licitações, uma para cada tipo de serviço que ainda demanda ser concluído, em vez de uma única para todo o empreendimento.

Cerca de 20% das obras do Aquário do Pantanal, em Campo Grande, ainda precisam ser concluídas; obras estão paralisadas desde 2015 — Foto: Fabiano Arruda/TV Morena

Cerca de 20% das obras do Aquário do Pantanal, em Campo Grande, ainda precisam ser concluídas; obras estão paralisadas desde 2015 — Foto: Fabiano Arruda/TV Morena

O projeto do aquário

O Centro de Pesquisa e Reabilitação da Ictiofauna, conhecido como Aquário do Pantanal, foi lançado em 2011 pelo então governador André Puccinelli (MDB). As obras começaram no mesmo ano. Esse ano foram fiscalizadas pela Justiça.

O projeto é de que o empreendimento seria o maior aquário de água doce do mundo, com 6,6 milhões de litros de água, distribuídos em 24 tanques, com 7 mil animais de 263 espécies, entre elas peixes, jacarés e cobras.

Contudo, as obras estão paradas desde 2015 e os gastos passaram de R$ 230 milhões. O empreendimento estava orçado, inicialmente, em R$ 84 milhões.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: