Papa reativa comissão que investiga abusos sexuais na igreja

Correio do Pantanal

18 fev 2018 às 08:33 hs
Papa reativa comissão que investiga abusos sexuais na igreja

ARQUIVO REUTERS/ALESSANDRO BIANCHI

Líder do Vaticano nomeou novos membros para a instituição que tem estado “esquecida”

O papa Francisco reativou a comissão que investiga os abusos sexuais na igreja ao ter nomeado, este sábado, novos membros para a instituição.

A decisão, noticiada pela agência AP, surge após recentes críticas sobre a forma como o líder do vaticano tem lidado com os escândalos que têm surgido na igreja católica, bem como pelo apoio que Francisco demonstrou ao bispo chileno Juan Barros, acusado por vítimas de ter conhecimento de abusos e os ter ignorado.

O anúncio surge ainda no mesmo dia em que um investigador do Vaticano irá entrevistar uma testemunha, em Nova Iorque, de um dos principais denunciantes do referido escândalo no Chile.

O papa atribuiu ao arcebispo Charles Scicluna a missão de apurar os factos passados no Chile, após ter sido criticado ao afirmar que o bispo Juan Barros estava a ser “difamado” pelas vítimas de abusos.

Entre os membros da nova comissão contam-se vítimas de abusos ocorridos no seio da igreja.

A comissão é presidida pelo cardeal Sean O’Malley e formada por 16 membros, oito homens e oito mulheres.

“A CPPM apoia o direito de toda a pessoa que sofreu abusos a revelar ou não revelar publicamente as suas experiências. Os membros nomeados hoje decidiram não fazê-lo publicamente, mas apenas dentro da comissão. A CPPM acredita firmemente que a sua privacidade é um valor que deve ser respeitado”, explicou a Santa Sé em comunicado.

Os novos membros são o brasileiro Nelson Giovanelli Rosendo dos Santos, a britânica Jane Bertelsen, a indiana Arina Gonsalves, o italiano Ernesto Caffo, o australiano Neville John Owen, Benyam Dawit Mezmur (Etiópia), Myriam Wijlens (Países Baixos), Sinalelea Fe’ao (Tonga) e Teresa Kettelkamp (Estados Unidos).

Todos eles incorporam este órgão, do qual já fazem parte Gabriel Dy-Liacco (Filipinas), Luis Manuel Alí Herrera (Colômbia), Hans Zollner (Alemanha), Hanna Suchocka (Polónia), Kayula Lesa (Zâmbia), Hermenegild Makoro (África do Sul) e Robert Oliver (Estados Unidos).

O cardeal O’Malley celebrou os novos membros e considerou que estas pessoas “darão uma perspetiva global à proteção dos menores e adultos vulneráveis”. Com Lusa

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: