Os estranhos conselhos sexuais de um manual banido há quase 300 anos no Reino Unido

Correio do Pantanal

14 fev 2018 às 08:40 hs
Os estranhos conselhos sexuais de um manual banido há quase 300 anos no Reino Unido

Ima da obra Aristotle's Masterpiece Completed In Two Parts

Image captionA obra de nome peculiar dá conselhos sobre diferentes aspectos da vida sexual | Foto: Hanson’s Auction House/Divulgação

Um manual escrito há 300 anos com “os segredos do sexo” – banido na época de sua publicação e, acredita-se, com circulação restrita até os anos 1960 – deve ir a leilão no próximo mês no Reino Unido.

Datado de 1720, Aristotle’s Masterpiece Completed In Two Parts, The First Containing the Secrets of Generation (em tradução livre, A Obra-Prima de Aristóteles, Feita em Duas Partes, Contendo a Primeira os Segredos da Procriação) foi redigido por um autor desconhecido, que usava o pseudônimo de Aristóteles e que oferecia um leque variado e bastante questionável de recomendações.

A seguir, listamos alguns dos conselhos – muitos deles insólitos – que a obra dava aos britânicos do século 18.

Short presentational grey line

Não deite com animais

O manual – com a ajuda de imagens em xilogravura bastante explícitas – alerta as mulheres que, se mantivessem relações sexuais com animais, correriam o risco de dar à luz “monstros”.

Um dos desenhos mostra um homem dotado de uma grande cauda; outro traz uma criança com os braços cobertos por penas e com um pé de galinha no lugar das duas pernas.

A criança-pássaro aparentemente nasceu na Itália, em 1512. Sua aparência bizarra seria culpa exclusiva da mãe, que era “imoral e impura”.

Encare seu marido

A aparência da criança depende completamente da imaginação da mãe – pelo menos para o autor da “obra-prima”.

O livro afirma que “se as mulheres lançarem os olhos sobre corpos doentes, a força da imaginação poderia produzir uma criança com lábio cabeludo ou com a boca retorcida”.

Como evitar?

Durante a relação sexual, as mulheres deveriam encarar com gravidade o homem e “focar seu pensamento nele”. Assim, a criança pareceria com o pai – que, espera-se, não tenha lábios cabeludos ou a boca retorcida.

Aristotle's Masterpiece Completed In Two Parts
Image captionDe acordo com o livro, uma criança nasceu em 1512 com penas e um pé de galinha no lugar das pernas | Foto: Hanson’s Auction House/Divulgação

Coma as coisas certas

Homens que queiram “espalhar sua semente”, por sua vez, deveriam privilegiar uma dieta à base de raízes e de aves que cantam.

A longa lista de alimentos recomendados para ajudar no desempenho sexual dos homens inclui ovos, gengibre, nabo, pardais, melros, perdizes e pombos jovens.

As mulheres, o gênero mais propenso às indulgências sexuais, deveriam evitar “comidas gordurosas e temperos”, porque esses alimentos fariam com que seu corpo se tornasse mais quente.

Outra solução para as moças era simplemente se casarem – e quando o desejo delas fosse desfrutado pelos maridos, “elas se tornariam mais felizes e mais cheias de vida”.

Não se apresse

Aí vai uma dica para o homem dos sonhos:

“Quando fizer o que a natureza pede, o homem deve ter o cuidado de não se desvencilhar muito cedo do aconchego de sua mulher.”

Afinal, é uma questão de boas maneiras.

Aristotle's Masterpiece Completed In Two Parts
Image captionSegundo o autor, o homem seria ‘a maravilha do mundo, à qual todas as coisas estão subordinadas’ | Foto: Hanson’s Auction House/Divulgação

Use a seleção de gênero a seu favor

Quer ser mãe de uma menina? Para isso, logo depois do sexo, a mulher deveria deitar-se sobre seu lado esquerdo. Se quisesse um menino, deveria deitar-se sobre seu lado direito.

Enquanto isso, “o melhor período para ter descendentes homens é quando o sol está em Leão e a Lua, em Virgem, Escorpião ou Sagitário”.

Para trazer ao mundo uma menina, contudo, o livro afirma que o período mais apropriado é quando “A Lua está na fase minguante, em Libra ou em Aquário”.

Lembre que os homens vêm em primeiro lugar

A obra fala sobre os homens como sendo “a maravilha do mundo, à qual todas as coisas estão subordinadas” e “cuja semente deveria ser vista como uma dádiva divina, revestida em abundância com espírito vital”.

De forma romântica, ela sentencia: “Sem dúvida, a união de dois corações no sagrado matrimônio é, das condições, a mais feliz, pois o homem passa a ter um ‘segundo eu’ para dividir seus pensamentos e uma doce companhia em seu trabalho”.

E qual mulher sensata não gostaria de ser considerada o “segundo eu” de seu marido?

Aristotle's Masterpiece Completed In Two Parts
Image captionA edição que vai a leilão foi publicada em 1720 e acredita-se que tenha sido banida até 1960 | Foto: 
ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: