Metade da munição ilegal entra  no Brasil por Mato Grosso do Sul

Correio do Pantanal

7 set 2018 às 09:42 hs
Metade da munição ilegal entra  no Brasil por Mato Grosso do Sul

Paraguai e Bolívia são os principais fornecedores do tráfico de armamento para o Brasil

 REDAÇÃO

Na prática, caso houvesse interesse da União em exercer um maior controle nas linhas fronteiriças de entrada, o ciclo de alimentação do crime organizado poderia ser cortado. A fragilidade da segurança federal nas faixas de fronteira com o Paraguai e a Bolívia, por Mato Grosso do Sul, tem favorecido a atuação das quadrilhas, que operam especialmente com o tráfico de armas e drogas.

ALGUNS NÚMEROS
Dados do Ministério Extraordinário de Segurança Pública (Mesp) revelam que, em um ano, durante a Operação Égide, realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), foram apreendidas 1.418 armas de fogo (fuzis, metralhadoras e pistolas) e 232.559 munições de vários calibres, produtos do tráfico. Desse volume, pelo menos 750 armas e 115.738 munições ficaram no eixo Mato Grosso do Sul, a caminho do Rio de Janeiro.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: