Justiça faz vistoria nas obras do Aquário do Pantanal em Campo Grande

Correio do Pantanal

15 ago 2018 às 06:35 hs
Justiça faz vistoria nas obras do Aquário do Pantanal em Campo Grande

A suspeita é de direcionamento e superfaturamento. De acordo com o juiz David de Oliveira, o contrato com uma empresa previsto em R$ 8 milhões chegou a R$ 29 milhões.

 

Vistoria da justiça no Aquário do Pantanal em MS  (Foto: Edmar Melo )

Vistoria da justiça no Aquário do Pantanal em MS (Foto: Edmar Melo )

O juiz David de Oliveira e o promotor Fernando Zalpa vistoriaram nessa terça-feira (14), as obras do Aquário do Pantanal, em Campo Grande. Eles estavam acompanhados por um engenheiro e um biólogo, que responderam a questiomentos técnicos sobre o local.

A inspeção foi concentrada nas áreas de bombas, climatização e espaços onde devem ficar os peixes. O justiça quer saber se a empresa espanhola Fluídra, escolhida para executar parte da obra, seria a única capaz de realizar todos os serviços pela qual que foi contratada. O Ministério Público (MP), questiona o fato da empresa ter terceitizado alguns serviços.

A suspeita é de direcionamento e superfaturamento. O contrato com a Fluídra, previsto inicialmente, em R$ 8 milhões chegou a R$ 29 milhões, de acordo com o juiz David de Olveira.

As informações da inspeção serão anexadas na ação por improbidade administrativa movida contra 7 pessoas, entre elas, o ex-secretário de obras do estado Edson Giroto e o engenheiro Luis Márcio. A defesa dos dois acusados nega qualquer irregularidade.

Entenda o caso

Em janeiro deste ano, o Governo do estado anunciou um plano para retomar as obras. Duas empresas foram contratadas, sem licitação, e medida chegou a ser publicada no Diário Oficial. Porém, o projeto não foi adiante.

De acordo com a decisão, um dos motivos pelo qual o juiz determinou a licitação foi o montante dos gastos da obra. São necessários R$ 38,7 milhões para que ela seja finalizada, mas a lei de dispensa de licitação permite um gasto máximo de apenas R$ 15 mil.

Sobre o aquário

O Centro de Pesquisa e Reabilitação da Ictiofauna, conhecido como Aquário do Pantanal, foi lançado em 2011 pelo então governador André Puccinelli (PMDB). As obras começaram no mesmo ano.

O projeto é de que o empreendimento seria o maior aquário de água doce do mundo, com 6,6 milhões de litros de água, distribuídos em 24 tanques, com 7 mil animais de 263 espécies, entre elas peixes, jacarés e cobras.

Contudo, as obras estão paradas desde 2015 e os gastos passaram de R$ 230 milhões. O empreendimento estava orçado, inicialmente, em R$ 84 milhões.

Vistoria da justiça no Aquário do Pantanal em MS  (Foto: Edmar Melo )Vistoria da justiça no Aquário do Pantanal em MS  (Foto: Edmar Melo )

Vistoria da justiça no Aquário do Pantanal em MS (Foto: Edmar Melo )

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: