Irmão de suspeito já identificado é apontado como comparsa em latrocínio

Correio do Pantanal

17 fev 2018 às 08:50 hs
Irmão de suspeito já identificado é apontado como comparsa em latrocínio

Comerciante foi morto na porta de agência bancária

Por RAFAEL RIBEIRO- Correio do Estado

Um crime pensado em família. Irmão do suspeito identificado como o autor dos tiros que mataram o comerciante Paulo César Buchanelli, 47 anos, em latrocínio (morte em assalto) ocorrido na tarde de quinta-feira (15), em Sidrolândia, é apontado pelas polícias Militar e Civil como comparsa da ação.

Durante esta manhã, Wellison Sanchez Fragozo, 21, conhecido como ‘Pipoca’, foi apontado como o principal autor do crime, flagrado em câmeras de segurança (veja imagens abaixo) atirando na vítima.

Agora, de acordo com os investigadores, seu irmão, de 19, seria o comparsa que pilotava a moto usada na locomoção e fuga.

O reconhecimento do jovem também foi feito com base em imagens de câmeras de segurança dos arredores da agência bancária e em depoimentos da testemunha que vendeu a moto usada no crime, na quarta-feira (14).

Ambos os suspeitos permanecem foragidos desde o crime. As polícias montaram uma força-tarefa para tentar a localização dos irmãos, que segundo testemunhas fugiram da cidade com destino à Capital.

Diferente do irmão, que tinha passagem apenas por violência doméstica, o irmão acumula apreensões quando adolescente por delitos como roubo e furto.

O CRIME

Buchanelli chegava à agência bancária localizada na Rua Rio Grande do Norte, por volta das 14h50 de ontem, quando foi surpreendido pelos dois homens, que estavam em uma motocicleta vermelha. O comerciante não reagiu e entregou o malote com dinheiro que seria depositado no banco, mas mesmo assim foi baleado no tórax.

Na sequência, a dupla fugiu com o dinheiro pela Avenida Aquiban e depois seguiu pela Avenida Dorvalino dos Santos, que dá acesso a BR-060, tanto para seguir sentido Campo Grande, como para outras rodovias, como a MS-162 e MS-258. Paulo Buchanelli foi socorrido pelos Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

A polícia teve acesso a várias imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos da região e, por meio delas, conseguiu apontar Wellesom como principal suspeito. Em uma das gravações ele aparece na lanchonete da vítima. A hipótese é de que estivesse no local colhendo mais informações sobre a rotina de Paulo e o horário que ele saía para o banco.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: