Importação de energia pelo Brasil em 2018 é a maior em 17 anos, indicam dados do ONS

Correio do Pantanal

17 fev 2019 às 06:58 hs
Importação de energia pelo Brasil em 2018 é a maior em 17 anos, indicam dados do ONS

Por Fábio Amato, G1 — Brasília

O montante de energia elétrica importado pelo Brasil em 2018 foi o maior dos últimos 17 anos, de acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

No ano passado o país importou 1.131 gigawatts-hora (GWh) da Argentina e do Uruguai. A conta não considera a energia fornecida pela Venezuela, que atende apenas ao estado de Roraima.

Importação de Energia Pelo Brasil
Em GWh
0056563183181.0251.0251.1311.13120142015201620172018025050075010001250
Fonte: ONS

Uma das razões para o aumento da importação é o encarecimento da energia produzida dentro do Brasil, resultado da queda no armazenamento de água nos reservatórios de hidrelétricas.

Antes de 2018, a maior importação foi a registrada em 2001: 3.917 GWh. Naquele ano, o país passou por um racionamento devido à falta de chuvas.

O volume importado em 2018 equivale a apenas 0,24% de toda a energia consumida no Brasil no ano passado (474.242 GWh). Apesar de pequena, especialistas apontam que a presença dessa energia importada beneficia os consumidores (leia mais abaixo neste texto).

Incentivo à importação

O Brasil possui interligação elétrica com Argentina, Uruguai e Paraguai e pode tanto importar quanto exportar energia. Segundo o ONS, as trocas ocorrem quando há “folga de recursos energéticos e de geração em um país e necessidade em outro, ou para atender a emergências”.

Importação de energia da Argentina e do Uruguai reduziu uso de termelétricas no Brasil — Foto: Reprodução/Jornal NacionalImportação de energia da Argentina e do Uruguai reduziu uso de termelétricas no Brasil — Foto: Reprodução/Jornal Nacional

Importação de energia da Argentina e do Uruguai reduziu uso de termelétricas no Brasil — Foto: Reprodução/Jornal

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: