Haddad diz que, se for eleito, acredita em acordo ‘com algumas pessoas’ do MDB

Correio do Pantanal

21 set 2018 às 12:21 hs
Haddad diz que, se for eleito, acredita em acordo ‘com algumas pessoas’ do MDB

Por Rogério Corrêa, G1 — São José dos Campos


Haddad em visita ao Parque Tecnológico de São José dos Campos — Foto: Reprodução/TV Vanguarda

Haddad em visita ao Parque Tecnológico de São José dos Campos — Foto: Reprodução/TV Vanguarda

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, afirmou nesta quinta-feira (20) que, se for eleito, acredita em um acordo “com algumas pessoas” do MDB pela governabilidade.

O petista visitou o Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). Lá, conheceu as instalações do Centro de Monitoramento de Desastres Naturais (Cemaden). Após a visita, Haddad concedeu entrevista a jornalistas no local

Candidato do PT, Fernando Haddad, faz campanha no interior paulista

Candidato do PT, Fernando Haddad, faz campanha no interior paulista

Questionado sobre se, em um eventual governo, estaria disposto a dialogar com o MDB, Haddad disse que sim. O MDB é o partido do presidente Michel Temer, e que compôs a chapa presidencial nos dois mandatos da ex-presidente Dilma Rousseff. Após o impeachment da petista, Temer assumiu a Presidência.

“O importante é que forças politicas adiram ao nosso plano, concordem com nosso plano, porque nós vamos ter que votar esse plano no Congresso Nacional. Quanto mais gente expressar [apoio], sem pedir nada em troca…”, disse Haddad.

Logo depois, o petista foi indagado sobre se ele acredita num acordo pragmático com o MDB. E respondeu: “Com algumas pessoas, sim. Com o partido como um todo, sob liderança do Temer, é muito difícil”.

“Eu penso que essa unidade está sendo rompida pela prática. Nós temos o melhor programa para o país. Eu tenho certeza que nós vamos ter, com negociação, ninguém é ingênuo, mas com negociação haverá disposição de tirar o país da crise”, complementou.

Ciência e tecnologia

Durante a entrevista, Haddad disse que, nos últimos anos, houve um “enxugamento muito grande” dos investimentos em ciência e tecnologia no país. Segundo ele, em um eventual governo do PT, haverá a retomada de investimentos na área.

Além disso, Haddad também prometeu desfazer o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, criado pelo governo Temer. Segundo ele, fundir a pasta de Ciência, Tecnologia e Inovações com a de Comunicações foi um “erro”.

“É uma demanda da comunidade cientifica, que eles tenham de volta o seu ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, e eles terão. Porque foi um erro fundir com o Ministério das Comunicacões, que tem outra agenda e uma agenda que acaba engolindo a agenda de ciência e tecnologia em função da importância das teles e tudo mais. Ficou secundarizada a ciência e tecnologia”, disse o petista.

“O que nos temos que fazer é retomar a agenda concentrada em ciência, levando em consideração aquela ciência que dialoga com o dia a dia da inovação voltada para as famílias mais pobres. Na área da saúde por exemplo, é uma prioridade”, prometeu.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: