Gasolina escasseia em pelo menos 9 dos 23 estados da Venezuela

Correio do Pantanal

23 dez 2017 às 08:15 hs
Gasolina escasseia em pelo menos 9 dos 23 estados da Venezuela

A Venezuela, que tem uma das maiores reservas de petróleo do mundo, está com problemas de abastecimento de combustível, em pelo menos nove dos seus 23 estados, uma situação que a petrolífera estatal confirma e atribuí ao “bloqueio internacional”.

A situação é particularmente grave nos estados de Zúlia, Táchira, Barinas, Mérida, Yaracuy, Portuguesa, Trujillo, Lara e Carabobo, onde as poucas estações de serviço que ainda têm combustível registam filas quilométricas de viaturas à espera para abastecer e começam a ocorrer protestos da população, que se queixa ainda da falta de gás doméstico.

Fontes não oficiais dão conta de que a falta de gasolina é de mais de 70%, uma situação que poderia agravar-se nas próximas horas, uma vez que muitos venezuelanos aproveitam a época do Natal para saírem das suas cidades para passar as festas com familiares noutras regiões do país.

A população atribui a situação à má administração e a conflitos internos dentro da estatal Petróleos da Venezuela SA (PDVSA), empresa que, segundo analisadoras de risco, entrou recentemente em “default” (incumprimento) de pagamentos.

Segundo Iván Freites, secretário-geral do Sindicato de Trabalhadores Petrolíferos, a situação tem a ver com o facto de “80% das refinarias do país estarem paralisadas”.

“Trata-se de uma situação que denunciamos desde 2005. Não há lubrificante (óleo) nem gasolina no país. Não estamos a produzir combustível suficiente para abastecer o país”, disse aos jornalistas.

Por outro lado, a porta-voz do Sindicato dos Trabalhadores das Estações de Serviço do Estado de Lara, denunciou que, além das falhas de combustível, o setor está a ser afetado, pela crise político-económica e a falta de importação de materiais e peças de reposição para viaturas.

“Apenas 50% dos camiões que transportam combustível estão ao serviço. O resto não está ao serviço por falta de pneus, peças de reposição, óleos e outras coisas que as viaturas necessitam”, disse Azália Colmenárez, aos jornalistas.

Entretanto, através do Twitter, a estatal PDVSA confirmou a situação que atribuiu a sanções internacionais e ao bloqueio contra a Venezuela.

Segundo a PDVSA, estão a ser feitos esforços para restabelecer urgentemente o abastecimento de combustível no país.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: