Em programa eleitoral, Alckmin lembra atentado contra Bolsonaro e diz que diferença partidária se resolve com política

Correio do Pantanal

8 set 2018 às 09:31 hs
Em programa eleitoral, Alckmin lembra atentado contra Bolsonaro e diz que diferença partidária se resolve com política

Até o atentado de quinta-feira (6), quando Jair Bolsonaro recebeu uma facada durante ato em Minas Gerais, Alckmin vinha criticando o adversário diretamente nos programas no rádio e na televisão.


Por G1, Brasília

 

Jair Bolsonaro após ataque durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG)  (Foto: Raysa Leite/AFP)
Jair Bolsonaro após ataque durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG) (Foto: Raysa Leite/AFP)

Na propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão neste sábado (8), o candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, lembrou atentado sofrido na última quinta-feira (6) pelo candidato do PSL a presidente, Jair Bolsonaro, e disse que as diferenças partidárias se resolvem com política e não com violência.

Bolsonaro levou uma facada no abdômen durante ato de campanha no Centro de Juiz de Fora (MG) na última quinta-feira (6). Bolsonaro foi operado e transferido para Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo nesta sexta-feira (7). Em sua conta no Twitter, Bolsonaro disse que está bem e que está se recuperando.

“Debate das idéias, por mais divergentes que elas sejam, é uma exigência da democracia. Para resolver diferenças partidárias existe a política. A política é a única arma aceitável numa disputa eleitoral. Nada justifica a violência”, afirmou o tucano.

Até o atentado da última quinta-feira (6), Alckmin vinha criticando Bolsonaro diretamente nos programas no rádio e na televisão. Em discurso de solidariedade, Alckmin disse que está em orações por Bolsonaro.

“Eu e minha família estamos juntos nas orações pela plena recuperação do candidato Jair Bolsonaro”, disse Alckmin na propaganda.

Jair Bolsonaro segue com quadro estável na UTI do Hospital Albert Einstein em São Paulo
Jair Bolsonaro segue com quadro estável na UTI do Hospital Albert Einstein em São Paulo

A propaganda de Geraldo Alckmin disse, ainda, que violência sempre foi o pior caminho para atacar a violência e que o país inteiro está estarrecido com ato de violência contra Jair Bolsonaro.

“Chega de uns contra outros. É preciso ter serenidade. É urgente a gente pensar na construção de uma nova nação, com paz no lugar de guerra. Não é na bala e nem na facada que vamos construir essa nação, é no diálogo”, afirmou a campanha.

O candidato do Podemos à Presidência da República, Álvaro Dias, também mencionou o ataque a Bolsonaro durante a propaganda eleitoral.

“Espero que ele se recupere rápido”, disse. “Eu sempre soube que não é na faca e nem na bala que vamos resolver os problemas”, concluiu o candidato do Podemos.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: