Descobre no divórcio que a mulher gastou 4 milhões em jogo

Correio do Pantanal

3 abr 2018 às 07:16 hs
Descobre no divórcio que a mulher gastou 4 milhões em jogo

Empresário não estranhou que indonésia estivesse sempre a pedir empréstimos.

 Descobre que mulher gastou 4 milhões em jogo no divórcio Direitos Reservados 621 0 Um empresário inglês declarou falência e culpa a ex-mulher, que é acusada de ter gastado mais de quatro milhões de euros no vício do jogo. Christopher Forte, de 36 anos, diz que nunca desconfiou de nada desta dimensão e só descobriu o problema de jogo de Juliana Posman quando decidiu divorciar-se. O inglês apaixonou-se pela jovem indonésia em 2010, quando ambos se cruzaram numa empresa de tecnologia. Cego de amores, ignorou as dívidas de milhares que Juliana ‘colecionava’ em casinos, aplicações e jogos de apostas, assim como o desaparecimento ‘misterioso’ de todas as poupanças do casal. O casal teve um casamento de luxo em 2004 em Londres e depois uma segunda cerimónia para a família de Juliana, na indonésia, ao que se seguiu uma lua de mel de sonho em Bali. Christopher diz que só depois desta fase é que começou a perceber que algo se passava. Com vontade de passar mais tempo em casa com a mulher, o inglês abandonou a profissão como programador de software e apostou numa carreira como professor, numa escola perto de casa. Juliana tinha um bom emprego, numa firma de advogados. Em pouco tempo, Juliana começou a pedir empréstimos ao marido e aos pais. Desculpava-se dizendo que, para poder ter o visto para permanecer no Reino Unido, tinha que mostrar que tinha pelo menos bens e poupanças no valor de 5,5 milhões de euros. “Em retrospetiva devia ter percebido que era mentira. Eu sou inglês, nascido e criado aqui, e ela era a minha mulher. Facilmente ela teria um visto sem gastar mais do que uma centenas de euros. Mas não vi além disso. Estava apaixonado e ela chorava e dizia-me ‘Preciso de mais 20 mil euros’. Se lhe fazia perguntas ela ficava ainda mais chateada e acusava-me de não confiar nela e de já não a amar”, revela o inglês. Depois de ter emprestado cerca de 200 mil euros e de a mulher ter rumado à Indonésia, recebeu uma carta de dois empresários, o Sr. Roiter e o Sr. Kayne, que garantiam ter emprestado cerca de 3 milhões de euros a Juliana e que esta lhes tinha dito que Christopher garantiria o dinheiro caso a indonésia entrasse em dívida. O empresário ficou chocado, até porque desconhecia o tamanho das dícidas da mulher. Quando Juliana regressou, foi confrontada com as dívidas e acabou por confessar o problema do vício do jogo. Explicou que tinha gasto todo o dinheiro que tinha amealhado com o casamento e que tinha feito vários empréstimos. O que não tinha gasto no casino tinha entregue ao irmão e aos pais. Christopher pediu o divórcio e só durante o processo, quando foram feitas as contas, é que percebeu que Juliana tinha gasto todas as poupanças que o casal tinha juntado. No total a mulher terá gasto quase 4,3 milhões de euros. Foi acordado que a mulher deveria pagar dois mil euros por mês ao ‘ex’ mas Christopher garante que não viu nem um tostão desde agosto, altura em que o processo de divórcio foi oficializado. Falido, o empresário está agora na casa de familiares a viver. “O vício do jogo é destrutivo e vi isso na primeira pessoa. Consome famílias. Ela não casou comigo por causa do dinheiro, mas acho que eventualmente percebeu que eu era um ‘coração mole’ e aproveitou-se. Ela não merece o visto para ficar aqui”, finaliza o inglês.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: