Combatente inglesa morta pelas forças turcas

Correio do Pantanal

19 mar 2018 às 06:41 hs
Combatente inglesa morta pelas forças turcas

Anna Campbell

Anna Campbell lutava ao lado do exército feminino curdo e pedira para ir defender Afrine

É a primeira britânica a morrer na Síria na defesa dos curdos. Anna Campbell morreu durante um bombardeamento das forças armadas da Turquia no dia 15, foi noticiado hoje pelos media britânicos.

Campbell, de 26 anos, era uma ativista pelos direitos humanos e canalizadora de Lewes, sudeste de Inglaterra. Juntara-se às forças armadas femininas curdas (YPJ) em maio de 2017 no combate ao Estado Islâmico.

Segundo fontes da YPJ, foi a própria quem pediu para ser destacada para o enclave de Afrine. A princípio não terão aceite o pedido, mas a própria insistiu e inclusive pintou o cabelo de preto para não dar tanto nas vistas.
“O seu martírio é uma grande perda para nós porque com a sua alma internacional, o seu espírito revolucionário demonstrou o poder das mulheres, expressou sua vontade em todas as suas ações… Em nome das Unidades de Defesa da Mulher, YPJ, expressamos as mais profundas condolências à sua família e prometemos seguir o caminho que ela iniciou. Vamos representá-la na totalidade das nossas lutas”, disse a porta-voz da YPJ, Nesrin Abdullah ao Guardian.

No fim de janeiro o exército turco começou a atacar a região. O país presidido por Recip Tayyip Erdogan considera as forças YPG e YPJ terroristas, a par do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão). No entanto, os países ocidentais não acompanham Ancara nessa classificação. As unidades curdas tiveram um papel fundamental na resistência e no combate ao Estado Islâmico.

Anna Campbell é a primeira mulher britânica morta na defesa dos curdos. Outros sete cidadãos britânicos morreram também ao lado da YPG.

As forças armadas turcas e grupos aliados tomaram ontem Afrine.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: