Com impasse, destino de peixes continua indefinido

Correio do Pantanal

31 mar 2018 às 08:04 hs
Com impasse, destino de peixes continua indefinido

Feito por equipe 24 horas por dia, monitoramento é constante

Por DA REDAÇÃO – Correio do Estado

Com o anúncio do governo do Estado de que não vai concluir as obras do Aquário do Pantanal sem o aval da Justiça, o destino de 10,5 mil peixes continua indefinido.

Os animais estão alojados há 40 meses em tanques improvisados na sede da Polícia Militar Ambiental (PMA), em Campo Grande. O custo da manutenção do local é de R$ 54,1 mil por mês aos cofres públicos. Despesa que não tem data para terminar.

Conforme a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), até que a obra seja finalizada, a situação dos peixes em quarentena continua a mesma.

“[Os peixes] permanecerão no local, em que estão bem cuidados, até que o Aquário seja finalizado. Não houve alteração quanto ao custo ou quantitativo das espécies em quarentena”, afirmou a Semagro.

Os três galpões, que começaram a receber os peixes em novembro de 2014, atualmente abrigam 170 tanques e aquários, com aproximadamente 172 espécies animais provenientes do Pantanal, Amazônia, Ásia, África e Oceania.

O monitoramento dos animais é feito 24 horas por dia, por uma equipe com onze profissionais, entre biólogos, veterinários, zootecnistas e químicos, que controlam o comportamento, sanidade animal, nutrição e qualidade da água.

*Leia reportagem, de Luana Rodrigues, na edição de sábado/domingo do jornal Correio do Estado.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: