Bolsonaro viaja à Argentina nesta quinta-feira para encontro com Mauricio Macri

Correio do Pantanal

6 jun 2019 às 10:42 hs
Bolsonaro viaja à Argentina nesta quinta-feira para encontro com Mauricio Macri

Por Luiz Felipe Barbiéri, G1 — Brasília


Os presidentes Jair Bolsonaro e Mauricio Macri, em Brasília, durante encontro em janeiro deste ano — Foto: Arthur Max/AIG-MRE
Os presidentes Jair Bolsonaro e Mauricio Macri, em Brasília, durante encontro em janeiro deste ano — Foto: Arthur Max/AIG-MRE

O presidente Jair Bolsonaro viaja nesta quinta-feira (6) à Argentina para se reunir com o presidente Mauricio Macri, empresários e representantes dos Poderes Judiciário e Legislativo.

Esta é a primeira viagem de Bolsonaro a Buenos Aires desde que tomou posse. Em janeiro deste ano, Macri esteve em Brasília (veja na foto acima).

A agenda divulgada pela Presidência prevê alguns compromissos, entre os quais:

  • Cerimônia na Praça San Martín;
  • Reunião reservada com Mauricio Macri;
  • Reunião ampliada com ministros;
  • Declaração à imprensa;
  • Encontro com representantes dos poderes Legislativo e Judiciário;
  • Encontro com empresários;
  • transmissão ao vivo em uma rede social.

De acordo com o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, está prevista a assinatura de acordos entre os dois países nas áreas de defesa, ciência e tecnologia, biocombustíveis e mineração.

Na viagem, Bolsonaro estará acompanhado de um comitiva formada pela primeira-dama, Michelle, e por alguns ministros, entre os quais Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Paulo Guedes (Economia), Tereza Cristina (Agricultura) e Augusto Heleno(Gabinete de Segurança Institucional).

Também acompanharão Bolsonaro o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), o deputado federal Marcel Van Hattem (Novo-RS) e assessores da Presidência da República.

A volta de Bolsonaro ao Brasil está programada para as 9h25 de sexta-feira (7). O presidente viajará de Buenos Aires para o Rio de Janeiro, onde participará de uma cerimônia militar.

Mauricio Macri e Jair Bolsonaro, durante um brinde no Palácio Itamaraty, em Brasília, em janeiro deste ano — Foto: Isac Nóbrega/PR
Mauricio Macri e Jair Bolsonaro, durante um brinde no Palácio Itamaraty, em Brasília, em janeiro deste ano — Foto: Isac Nóbrega/PR

Eleições argentinas

Em outubro, os argentinos irão às urnas para eleger um novo presidente. Bolsonaro tem manifestado reiteradas vezes que apoia a reeleição de Macri. A principal chapa oponente é a composta pela ex-presidente Cristina Kirchner.

Bolsonaro costuma dizer que, se a chapa de Cristina vencer, a Argentina se tornará uma “nova Venezuela”.

“O presidente é a favor de governos de países que compactuam com os mesmos valores, fortalecidos pela democracia, pelo valor do livre mercado e das liberdades individuais, que o Brasil tanto lutou para conseguir. Já declarou também por diversas vezes o desejo de que a esquerda não retome o poder no nosso subcontinente sul-americano, como vemos hoje na Venezuela”, afirmou o porta-voz de Bolsonaro nesta quarta-feira (5).

Cristina Kirchner anunciou em 18 de maio que disputará as eleições como candidata a vice-presidente na chapa encabeçada por Alberto Fernández, chefe de gabinete do ex-presidente Néstor Kirchner, marido de Cristina e que morreu em 2010.

Conforme a BBC, a decisão de abrir mão de ser cabeça de chapa surpreendeu o mundo político argentino e foi interpretada como uma jogada para tentar diminuir a rejeição à figura de Cristina, vista por parte dos argentinos como responsável pela situação da economia do país.

ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do Jornal Correio do Pantanal. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.

%d blogueiros gostam disto: